Toribio, um cardeal que tem cheiro de ovelha e minério

Revista ihu on-line

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Mais Lidos

  • Papa Francisco condena perseguição antigay e está preocupado com “cura gay”

    LER MAIS
  • Católicos e anglicanos - Trabalhar juntos para bem da humanidade, diz secretário do Vaticano

    LER MAIS
  • Opositores do papa: continuem assim

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

26 Maio 2018

“Diante deste mundo falso e injusto, a nomeação de Toribio significa que há outros valores mais importantes na vida como a honradez, o trabalho, a simplicidade, a justiça e a solidariedade aos pobres”, avalia o teólogo jesuíta Victor Codina, em artigo publicado por Ameríndia, 23-05-2018. A tradução é do Cepat.

Eis o artigo.

O Papa Francisco, no dia de Pentecostes, nomeou 14 novos cardeais, muitos deles de lugares periféricos. Entre eles, Toribio Ticona, um bispo boliviano emérito de uma jurisdição camponesa e pobre, que antes de ser bispo foi camponês, engraxate, mineiro, pedreiro e vendedor de jornais.

Certamente, muitos ficaram surpresos com esta nomeação que rompe com a imagem tradicional de cardeais príncipes da Igreja, membros de famílias nobres e bispos de grandes capitais mundiais. Toribio corresponde a outra imagem, a do pastor pobre e simples, sempre próximo ao povo camponês e mineiro.

Encontrei-me várias vezes com ele e recordo especialmente uma ocasião em que me convidou para um encontro de Comunidades Eclesiais de Base no distrito mineiro de Siglo XX. Toribio era o que servia a mesa.

Esta nomeação não é por acaso, responde à inquietação de Francisco em reformar a Igreja, de voltar a uma Igreja pobre e dos pobres, uma Igreja que vá às periferias e seja um hospital de campanha, onde os pastores não sejam capatazes e nem senhores feudais, mas servidores com cheiro de ovelha, que rompam o clericalismo recalcitrante e edifiquem uma Igreja Povo de Deus.

Esta nomeação é também uma crítica a uma sociedade que constrói muros para se defender dos migrantes pobres e na qual o representante do país mais poderoso chamou de “animais” os migrantes estrangeiros. Um mundo no qual se valoriza a riqueza, o consumo, o prestígio e o poder, e que se contenta com o “pão e circo” de casamentos principescos e campeonatos esportivos espetaculares.

Diante deste mundo falso e injusto, a nomeação de Toribio significa que há outros valores mais importantes na vida como a honradez, o trabalho, a simplicidade, a justiça e a solidariedade aos pobres.

Em última instância, esta nomeação nos recorda o Evangelho de Jesus, que veio não para ser servido, mas para servir, lavou os pés de seus discípulos e disse que os mais importantes no Reino de Deus são os pequenos e os pobres.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Toribio, um cardeal que tem cheiro de ovelha e minério - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV