Profetas e padres "incômodos" (mas apenas para alguns)

Revista ihu on-line

A fagocitose do capital e as possibilidades de uma economia que faz viver e não mata

Edição: 537

Leia mais

Juventudes. Protagonismos, transformações e futuro

Edição: 536

Leia mais

No Brasil das reformas, retrocessos no mundo do trabalho

Edição: 535

Leia mais

Mais Lidos

  • O Vaticano levanta definitivamente o veto a Gustavo Gutiérrez

    LER MAIS
  • Cardeal Müller: documento vaticano sobre a Amazônia contém heresia e estupidez. “Não tem nada a ver com o cristianismo”

    LER MAIS
  • A história dos 13 agricultores presos por Moro e depois absolvidos

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

23 Abril 2018

"A Igreja precisa de profetas" (O.R. 4,18, p. 8). Assim falou, na terça-feira, o papa Francisco, que na última sexta-feira foi prestar homenagem a Dom Tonino Bello, que anunciou com a vida a realidade da salvação. Alguns, ainda ontem nas páginas, continuam a considerá-lo um "padre incômodo".

O comentário é de Gianni Gennari, publicado por Avvenire, 21-04-2018. A tradução é de Luisa Rabolini.

Para saber a resposta, a verdadeira questão deveria ser: para quem? Um padre não incômodo não é um verdadeiro sacerdote, mas uma paródia do ministério. Estou pensando no arcebispo Romero, que em maio será santo: foi incômodo para aqueles que o mataram, e ao longo do tempo para algumas realidades da Igreja, e ele sofreu muito por isso.

Definir então "incômodo" Tonino Bello, padre e bispo incômodo, sem especificar "para quem" pode significar ofendê-lo. Na verdade "incômodos" para a Igreja e o Evangelho são outros padres, infelizmente nas manchetes, talvez também conhecidos como rígidos e capazes de julgar os outros sem servir a ninguém, exceto a si mesmos, afastando os distantes e os próximos e prejudicando a verdadeira realidade da Igreja.

Profeta, Padre Tonino: servidor da Igreja e do Cristo vivo no nosso próximo, nos pobres, nos distantes, nos abandonados por todos.

Ontem, o Papa Francisco o definiu "intolerante com toda mundanidade" e capaz de "descartar as roupas que impedem o movimento para revestir-se de serviço, para ser a Igreja do avental, única vestimenta sacerdotal registrada no Evangelho"! Definição retumbante, e "incômoda" para muitos, que, inclusive nestes dias chegaram a definir "herético" Dom Tonino, depois de ter ousado definir "sete vezes herético" também Francisco.

Eles, do alto de suas "cátedras" de papel ou digitais, oferecem páginas e páginas traduzidas do português, inglês, espanhol e outros, para instruir os incertos sobre muitas coisas, incluindo a única maneira de receber a Comunhão, ou seja, “de joelhos e na boca" ou, textual, sobre "Como se devem manter as mãos, juntas, cruzadas ou de outra forma" enquanto depois da oração do Creio "passam as hóstias” que serão usadas para a Consagração.

Igreja da estola e do avental": Francisco também é um padre incômodo, para alguns.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Profetas e padres "incômodos" (mas apenas para alguns) - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV