Lançada a segunda universidade jesuíta da África

Revista ihu on-line

Mulheres na pandemia. A complexa teia de desigualdades e o desafio de sobreviver ao caos

Edição: 548

Leia mais

Clarice Lispector. Uma literatura encravada na mística

Edição: 547

Leia mais

Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

Edição: 546

Leia mais

Mais Lidos

  • Médicos do Inferno – O Eco dos Horrores de Experimentos Humanos. Artigo de José Rodrigues Filho

    LER MAIS
  • O MST ocupa a Bolsa. Artigo de Paulo Kliass

    LER MAIS
  • Processo do cardeal Becciu mostra que as reformas de Francisco serão difíceis de reverter

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


01 Março 2018

A segunda universidade jesuíta da África foi inaugurada na capital do Zimbabue, Harare, na semana passada.

A Arrupe College Jesuit School of Philosophy and Humanities (Faculdade Jesuíta de Filosofia e Ciências Humanas) foi oficialmente inaugurada com o nome de Arrupe Jesuit University (AJU) depois que autoridades de ensino superior autorizaram a faculdade a conceder graus de forma independente.

A informação é publicada por The Tablet, 27-02-2018. A tradução é de Luísa Flores Somavilla.

O discurso de posse do vice-chanceler da AJU, Pe. Dr. Kizito Kiyimba, mencionava que o órgão que regulamenta o ensino superior, o Conselho de Zimbabwe de Ensino Superior (ZIMCHE - Zimbabwe Council of Higher Education) tinha concedido uma licença de um ano à universidade. Após esse período, ela deve fazer uma candidatura de funcionamento integral.

O chanceler da universidade e presidente da conferência de superiores jesuítas da África e de Madagascar, Pe. Agbonkhianmeghe Orobator, disse que o lançamento foi um momento histórico e alegre para a África.

Segundo ele, a universidade, além de transmitir conhecimento e compreensão, deverá servir às necessidades dos pobres.

"A realidade dolorosa e perturbadora da pobreza generalizada é um catalisador e um desafio para o desenvolvimento do ensino superior na África. A AJU vai pensar em formas criativas e inovadoras para [abordar] esse desafio, como a educação de uma sociedade que valoriza a justiça e a equidade e o comprometimento com a criação de condições socioeconômicas e políticas justas e equitativas para as pessoas marginalizadas e desprivilegiadas florescerem em liberdade e dignidade", explicou Orobator.

A AJU é a segunda universidade jesuíta na África, depois da Universidade de Loyola na República Democrática do Congo, e a sétima universidade privada no Zimbabue.

Os jesuítas têm uma rica experiência em educação em todos os níveis no país e Dr Kiyimba vê a universidade trabalhando em estreita colaboração com as escolas jesuítas e as instituições de ensino superior para criar uma plataforma de aprendizagem não apenas para católicos, mas para a nação como um todo. Segundo ele, a universidade tinha relações cordiais com o ZIMCHE e a comunidade de ensino superior, que prometeram apoio.

A filosofia educacional da universidade está crescendo sustentável e lentamente, enfatizando a qualidade em detrimento da quantidade.

"Pode haver um direcionamento ao dinheiro e à ampla expansão, e isso vai contra a filosofia educacional dos jesuítas. A nossa filosofia é que o dinheiro pode vir, mas está em segundo lugar.”

"Queremos primeiro promover educação e fazer a economia crescer produzindo pessoas boas e bem informadas, trabalhadores e responsáveis", disse o Dr Kiyimba.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Lançada a segunda universidade jesuíta da África - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV