Desmatamento pode aquecer o clima ainda mais do que o pensado originalmente, advertem os cientistas

Revista ihu on-line

Caetano Veloso. Arte, política e poética da diversidade

Edição: 549

Leia mais

Mulheres na pandemia. A complexa teia de desigualdades e o desafio de sobreviver ao caos

Edição: 548

Leia mais

Clarice Lispector. Uma literatura encravada na mística

Edição: 547

Leia mais

Mais Lidos

  • O que significa ser padre hoje? Artigo de Timothy Radcliffe

    LER MAIS
  • Paulo Freire. Cem anos de solidão pedagógica?

    LER MAIS
  • Por que a extrema direita elegeu Paulo Freire seu inimigo

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


13 Janeiro 2018

Uma equipe internacional de cientistas, liderada pela Universidade de Leeds, estudou a forma como os gases reativos emitidos por árvores e vegetação afetam o clima.

O texto foi elaborado por University of Leeds e publicado por EcoDebate, 12-01-2018. A tradução e a edição são de Henrique Cortez.

A pesquisa, publicada na Nature Communications, descobriu que esses gases reativos resfriam nosso clima, o que significa que o desmatamento levaria a temperaturas mais elevadas do que anteriormente antecipadas à medida que menos gases fossem criados.

O autor principal do estudo, Dr. Catherine Scott, da Escola de Terra e Meio Ambiente, disse: “A maioria das avaliações anteriores, sobre os impactos climáticos do desmatamento, tem focado a quantidade de dióxido de carbono que seria emitida ou as mudanças na forma como a energia terrestre troca energia e água com a atmosfera.

“Mas, além de absorver dióxido de carbono e dar oxigênio, as árvores emitem outros gases que participam de reações químicas complicadas na atmosfera e há implicações em reduzir esses gases”.

A equipe avaliou as formas complexas em que os gases reativos emitidos pelas florestas podem afetar nosso clima.

Uma vez no ar, os gases emitidos pelas florestas reagem com outros produtos químicos atmosféricos para formar pequenas partículas. Essas partículas podem refletir a luz solar de volta ao espaço, esfriando o clima.

Mas os gases reativos emitidos pelas árvores também podem aumentar as quantidades de ozônio e metano, ambos os gases de efeito estufa que têm efeitos de aquecimento no clima.

A equipe usou um modelo de computador complexo, desenvolvido na Universidade de Leeds, para calcular esses diferentes efeitos de aquecimento e resfriamento.

Coautor do estudo, Dominick Spracklen, professor de Interações Biosfera-Atmosfera: “Os cientistas sabem há muito tempo que as árvores emitem gases reativos para a atmosfera. Mas o impacto que esses gases têm sobre o clima até agora não foi tão amplamente estudado quanto os efeitos das emissões de dióxido de carbono.

“Ao entender esses efeitos complexos, agora sabemos mais sobre como as florestas estão afetando nosso clima, e podemos ver uma imagem mais clara das repercussões do desmatamento”.

“Descobrimos que os impactos de refrigeração desses gases superam os impactos do aquecimento, o que significa que os gases reativos distribuídos pelas florestas têm um efeito de resfriamento global em nosso clima”.

O Dr. Scott acrescentou: “Os efeitos de aquecimento e resfriamento desses gases estão mais equilibrados nos trópicos, onde a maioria do desmatamento está ocorrendo – sugerindo que realmente precisamos entender mais sobre a força desses impactos”

Referência: O estudo ‘Impact on short-lived climate forcers increases projected warming due to deforestation’ foi publicado em Nature Communications, 11/01/2018. (DOI: 10.1038/s41467-017-02412-4)

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Desmatamento pode aquecer o clima ainda mais do que o pensado originalmente, advertem os cientistas - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV