Honduras: a Província centro-americana dos Jesuítas denuncia manipulações nas eleições

Revista ihu on-line

Vilém Flusser. A possibilidade de novos humanismos

Edição: 542

Leia mais

Planos de saúde e o SUS. Uma relação predatória

Edição: 541

Leia mais

Hans Jonas. 40 anos de O princípio responsabilidade

Edição: 540

Leia mais

Mais Lidos

  • Bispo brasileiro diz que ordenará mulheres ao diaconato se papa permitir

    LER MAIS
  • “A ética do cuidado é um contrapeso ao neoliberalismo”. Entrevista com Helen Kohlen

    LER MAIS
  • Irmã Dulce, símbolo de um Brasil que está se esquecendo dos pobres. Artigo de Juan Arias

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

05 Dezembro 2017

No momento de incerteza que Honduras está vivendo devido à demora na apuração dos votos após as eleições presidenciais de 26 de novembro e às manifestações de rua que causaram 7 vítimas no último sábado, a Província da América Central dos Jesuítas manifestou-se através da seguinte declaração: "Denunciamos a falta de profissionalismo e ética do Supremo Tribunal Eleitoral em atrasar sistematicamente a divulgação dos resultados, tanto parciais como definitivos. Não é apenas uma suspeita, mas a certeza de que nessa situação esta ocorrendo uma grosseira manipulação por parte dos magistrados, influenciados por poderes concretos e obscuros que a partir do Estado e de outras realidades procuram que não seja respeitada a vontade popular expressa nas urnas. O Tribunal Especial está tentando de tudo para esconder uma inesperada vitória da oposição ao atual presidente, que fez tudo o que podia, legal ou ilegalmente, para ser reeleito".

A informação é publicada por SIR, 04-12-2017. A tradução é de Luisa Rabolini.

Os Jesuítas, no comunicado assinado pelo Provincial, Padre Rolando Alvarado, denunciam "a repressão dos órgãos do Estado contra o povo de Honduras" e se solidarizam com "a defesa pacífica da democracia e dos direitos dos cidadãos", levando em conta que grande parte do povo "foi brutalmente reprimida por seus protestos diante de uma visível e clara fraude eleitoral".

A nota continua: "Pedimos o respeito pela decisão do povo expressa nas urnas, exercendo o direito de livre expressão garantido pela Constituição. Mas o governo não está respeitando essa vontade e lança o Exército e outros aparatos da polícia estatal contra o povo, que está se manifestando pacificamente para defender seu voto e denunciar a fraude eleitoral pelo TSE".

 

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Honduras: a Província centro-americana dos Jesuítas denuncia manipulações nas eleições - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV