Dieese aponta fim de postos formais e mais informalidade

Revista ihu on-line

Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

Edição: 546

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Mais Lidos

  • Francisco denuncia: “Ouvimos mais as empresas multinacionais do que os movimentos sociais. Falando claramente, ouvimos mais os poderosos do que os fracos e este não é o caminho”

    LER MAIS
  • Prefeito da Doutrina da Fé pede para que padre irlandês, defensor da ordenação de mulheres, faça os juramentos de fidelidade aos ensinamentos da Igreja

    LER MAIS
  • Fogo no Pantanal mato-grossense começou em fazendas de pecuaristas que fornecem para gigantes do agronegócio

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


08 Novembro 2017

O boletim Emprego em Pauta número 6 do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) faz uma análise de alguns indicadores sobre o mercado de trabalho e mostra números preocupantes, que contestam o discurso oficial de que haveria uma retomada do emprego no Brasil, em especial pela magnitude do crescimento da ocupação, ainda longe de recuperar os níveis pré-2015, e pelo fato de que o crescimento da ocupação tem sido puxado, em geral, pelo crescimento da informalidade.

A reportagem é publicada por Fundação Perseu Abramo, 07-11-2017.

Por exemplo, a Pesquisa de Emprego e Desemprego (PED), realizada pelo Dieese, revelou tendência de queda da taxa de desemprego no início do segundo trimestre, mas o próprio boletim aponta que houve elevação do trabalho autônomo nas regiões metropolitanas, na comparação entre agosto de 2016 e agosto de 2017. Segundo o boletim, “em São Paulo, Salvador e no Distrito Federal houve crescimento de 12,7%, 15,4% e 17,8%, respectivamente, no número de trabalhadores autônomos”.

O Dieese também analisa que os resultados positivos do Caged apontam para uma pausa na destruição de postos formais de trabalho, mas não para sua recuperação: os saldos positivos obtidos agora são bastante inferiores aos do mesmo período em anos anteriores à crise. Os pesquisadores ainda apontam que o ano de 2017 dificilmente se encerrará com saldo positivo, já que o mês de dezembro registra habitualmente saldo negativo de cerca de 500 mil postos, bem acima do acumulado até agora no ano.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Dieese aponta fim de postos formais e mais informalidade - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV