Argentina. A saudação do Papa às Mães da Praça de Maio

Revista ihu on-line

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

Caetano Veloso. Arte, política e poética da diversidade

Edição: 549

Leia mais

Mulheres na pandemia. A complexa teia de desigualdades e o desafio de sobreviver ao caos

Edição: 548

Leia mais

Mais Lidos

  • "É hora de reaprender a arte de sonhar com os xamãs nativos"

    LER MAIS
  • Uma visão do suicídio no Brasil em resposta à outra visão apresentada

    LER MAIS
  • “É triste ver cristãos acomodados na poltrona”. O alerta do papa Francisco contra a acídia

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


17 Outubro 2017

Um grupo de mulheres que representava as Mães da Praça de Maio participou de uma missa de canonização, na primeira fila, e, logo, elas foram cumprimentadas por Francisco. Conforme relatado pelo Página|12, o encontro havia sido organizado por Hebe de Bonafini e Bergoglio.

A reportagem foi publicada por Página/12, 16-10-2017. A tradução é de Henrique Denis Lucas.

"Foi um momento breve mas muito caloroso", contaram as participantes.

Como parte da celebração do Dia das Mães na Argentina e comemorações do quadragésimo aniversário das Mães da Praça de Maio, o Papa Francisco recebeu na manhã de ontem, no Vaticano, um grupo de mulheres que traziam lenços brancos em suas cabeças, em representação das Mães, como havia antecipado o Página|12.

As mulheres com seus lenços brancos estavam na primeira fila da canonização do "Beato Mateus Moreira e seus companheiros mártires", que foram assassinados em 1645 por soldados calvinistas holandeses na região do nordeste brasileiro.

Em princípio, as Mães haviam planejado realizar uma vigília na Praça de São Pedro para apresentar no Vaticano a luta da organização, num momento em que, nas palavras de Hebe de Bonafini, presidenta da Associação, elas estão "sofrendo uma perseguição".

Bonafini tinha escrito uma carta ao Papa para consultar-lhe se isto era possível. Um emissário de Francisco respondeu-lhe que sim, mas que haveria uma mudança de planos, dado que ontem seria celebrada uma cerimônia que implicava em algumas regras de segurança. Por isso, Bergoglio resolveu enviar um sacerdote para buscar o grupo de mulheres com lenços brancos para ingressá-las e situá-las na primeira fila da missa de canonização presidida pelo próprio Papa.

Assim, enquanto um grupo italiano de apoio às Mães se encontrava na Praça São Pedro, agrupadas sob um cartaz com os dizeres "Não passarão", com o qual as mães vêm fazendo referência às permanentes perseguições por parte do governo argentino, um emissário do Papa foi buscá-las e logo as conduziu até a cerimônia, onde a saudação do Papa se concretizou.

"Foi um momento breve mas muito caloroso, todos ficaram muito contentes", assegurou, após a saudação papal, Geneviéve Jeanningros, sobrinha de Leonie Henriette Duquet, uma freira francesa que, juntamente à Alice Domon, foi detida e desapareceu em dezembro de 1977, durante a ditadura militar.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Argentina. A saudação do Papa às Mães da Praça de Maio - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV