Setor bancário já fechou 10.680 postos de trabalho no ano

Revista ihu on-line

Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

Edição: 546

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Mais Lidos

  • Papa lança ataque frontal ao nepotismo e ao feudalismo no Vaticano

    LER MAIS
  • “Os governos da direita e da extrema direita são muito bons para destruir, mas muito ruins para construir”. Entrevista com Boaventura de Sousa Santos

    LER MAIS
  • Os acontecimentos da semana. A esperança que ressurge em meio à pandemia

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


12 Setembro 2017

O Bradesco registrou 7,4 mil adesões ao Plano de Desligamento Voluntário Especial (PDVE) lançado em 13 de julho, ao qual puderam aderir os funcionários da Organização Bradesco. "O Bradesco reitera que a implementação do PDVE não afeta o elevado padrão de qualidade dos serviços prestados aos seus clientes e usuários, em todas as localidades e atividades em que atua", informa, em comunicado, o banco, que não divulgou expectativas para o plano.

A reportagem é de Ana Carolina Neira e Fátima Laranjeira, publicada por O Estado de S. Paulo, 12-09-2017.

Entre janeiro e julho deste ano, os bancos brasileiros fecharam um total de 10.680 postos de trabalho no País, de acordo com dados do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) com base no Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged).

Ainda de acordo com a pesquisa, apenas em julho o setor foi capaz de gerar um saldo ligeiramente positivo de 72 postos a mais, o primeiro após 17 meses de resultados negativos.

Em novembro de 2016, o Banco do Brasil anunciou seu Plano Extraordinário de Aposentadoria Incentivada (PEAI) para funcionários com condições de aposentadoria até 31 de dezembro do mesmo ano. No total, houve 9.409 adesões em todo o Brasil.

Já o mesmo plano implementado pela Caixa Econômica Federal conseguiu a adesão de 2.806 empregados.

Na avaliação do presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT), Roberto von der Osten, não existe perspectiva de melhora para o setor, que deverá continuar demitindo trabalhadores nos próximos meses.

“Isso que vemos é a afirmação da política dos bancos de redução das agências físicas e aumento das operações eletrônicas e digitais. O banco quer maximizar lucro, então vai investir cada vez mais em tecnologia e menos na mão de obra”, diz. Para o dirigente, 2018 será um ano de poucas contratações.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Setor bancário já fechou 10.680 postos de trabalho no ano - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV