Oração reúne vítimas dos dois lados após meio século de guerra

Revista ihu on-line

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

Caetano Veloso. Arte, política e poética da diversidade

Edição: 549

Leia mais

Mulheres na pandemia. A complexa teia de desigualdades e o desafio de sobreviver ao caos

Edição: 548

Leia mais

Mais Lidos

  • Uma escolha crucial: como a Igreja seleciona seus bispos?

    LER MAIS
  • Padres despedaçados. Artigo de Pietro Parolin

    LER MAIS
  • Os três passos dos homens

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


11 Setembro 2017

Na cidade de Villavicencio, no dia 8 de setembro, o Papa Francisco deve participar de uma oração extraordinária pela reconciliação nacional, de que participarão 6.000 pessoas, incluindo vítimas de violência de ambos os lados, ex-guerrilhas, policiais e militares.

A reportagem é de Cindy Wooden, publicada por Catholic News Service, 08-09-02017. A tradução é de Luísa Flores Somavilla.

É o ponto alto de um dia focado no caminho à reconciliação, em um país que sofreu com um conflito armado entre guerrilheiros marxistas e o governo desde 1964, e com a violência ainda antes.

O momento de oração, potencializado pelo testemunho de quatro vítimas de violência, será transmitido em rede nacional pela TV, pelo rádio e pelas redes sociais. É um evento crucial no esforço contínuo do papa Francisco de provocar uma mudança cultural no país, buscando afastar mentes e corações da violência e levá-los para um caminho de paz e reconciliação.

As vítimas do conflito armado com as FARC que atingiram a Colômbia durante mais de 5 décadas se abraçaram em um gesto de reconciliação e perdão, liderado pelo papa Francisco. (Foto: Efraín Herrera – SIG)

O Papa Francisco procura evitar o impasse de longa data criado pela polarização política no país, deixando claro que há "outro caminho" para construir um futuro de paz em que os colombianos possam ver uns aos outros como "irmãos e irmãs", não como inimigos que devem ser eliminados.

Um folheto elaborado pela arquidiocese de Villavicencio inclui um relatório sobre o trágico número de vítimas do conflito armado do país no último meio século: 8 milhões de vítimas, 984.507 homicídios, 166.407 pessoas desaparecidas, 16.340 assassinatos, 1.982 massacres, 19.684 vítimas de violência sexual, 6.421 casos de violência sexual, 6.421 casos de recrutamento forçado e 12.000 amputações.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Oração reúne vítimas dos dois lados após meio século de guerra - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV