Porto Alegre. Mães trancam portões de escola em protesto contra mudanças propostas por Marchezan

Revista ihu on-line

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Mais Lidos

  • O Papa doa aos pobres um prédio de luxo a poucos passos de São Pedro

    LER MAIS
  • Arautos do Evangelho. Vaticano retoma a intervenção

    LER MAIS
  • “Infelizmente, a história da escravidão é contada por pessoas brancas”. Entrevista com Laurentino Gomes

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

31 Março 2017

A manhã de quinta-feira iniciou cedo para um grupo de mães de alunos da Escola Municipal de Ensino Fundamental José Loureiro da Silva, localizada no bairro Cristal, zona sul da capital. Desde às 6h, elas se mobilizaram diante do colégio para protestar contra as mudanças nos horários da rede municipal determinadas pelo prefeito Nelson Marchezan Jr (PSDB). As mães bloquearam os portões da escola e impediram o acesso de alunos para as aulas.

A reportagem é de Milena Giacomini, publicada por Sul21, 30-03-2017.

A mobilização foi organizada pelo grupo chamado Comissão de Mães, composta por 12 pessoas que vêm se reunindo desde o anúncio das novas diretrizes, em fevereiro. Elas lutam pela permanência da antiga rotina escolar. Segundo Carla Eduarda Tatsch, mãe de um aluno de oito anos, as mudanças afetam profundamente o cotidiano de pais que precisam largar os filhos na escola para conseguir trabalhar – o início das aulas foi atrasado das 7h30 para às 8h. “Têm dias que eu chego às quinze para as seis aqui e já têm alunos esperando para entrar na escola. Como vai ser quando as atividades iniciarem somente às 8h?”, questiona.

Ao longo da manhã, outras mães foram aderindo ao protesto, causando bloqueios na Av. Capivari. Para Carla Eduarda, a escola tem um diferencial no trato com os alunos e presta o suporte necessário para mães que passam o dia fora trabalhando. “O meu filho entrou na escola com 5 anos e é super educado. E eu sei que não é só pela educação em casa, é também pelas professoras que fazem parte do convívio”, desabafa.

Segundo Carla Eduarda, o protesto seguirá durante o dia. “Vamos permanecer aqui o dia todo, vamos lutar pela educação dos nossos filhos”, declara.

Outros protestos, organizados pela Comissão de Mães, já ocorreram diante da Prefeitura e em vias da zona sul da Capital. Carla Eduarda promete seguir protestando para manter a antiga rotina. “Não vamos desistir. Não vamos parar”.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Porto Alegre. Mães trancam portões de escola em protesto contra mudanças propostas por Marchezan - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV