Papa Francisco reza pelos cristãos perseguidos. Veja o vídeo

Revista ihu on-line

Veganismo. Por uma outra relação com a vida no e do planeta

Edição: 532

Leia mais

Etty Hillesum - O colorido do amor no cinza da Shoá

Edição: 531

Leia mais

Missões jesuíticas. Mundos que se revelam e se transformam

Edição: 530

Leia mais

Mais Lidos

  • O melhor professor do mundo é Peter, franciscano do Quênia

    LER MAIS
  • Bolsonaro estimula celebração do golpe militar de 1964; generais pedem prudência

    LER MAIS
  • Líder de movimento social é assassinada no Pará

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

03 Março 2017

A intenção mensal do papa para o mês de março é dedicada aos cristãos perseguidos, que ao redor do mundo enfrentam ameaças diárias de violência física por causa das crenças religiosas que professam. Estima-se que 200 milhões de cristãos correm risco de violência física, detenção, tortura e morte.

A reportagem é de Inés San Martín, publicada por Crux, 02-03-2017. A tradução é de Isaque Gomes Correa.

Num momento em que se estima que 200 milhões de cristãos ao redor do mundo enfrentam a ameaça da perseguição religiosa, o Papa Francisco levantou a voz em nome dessas pessoas através de um vídeo orante mensal, em que pede que o mundo reze e dê apoio material aos cristãos perseguidos.

“Quantas pessoas são perseguidas por causa de sua fé, obrigadas a abandonar suas casas, seus locais de culto, suas terras, seus afetos!”, disse Francisco no mais recente vídeo com suas intenções mensais de oração confiadas à Rede Mundial de Oração do Papa. A inciativa “O Vídeo do Papa” é coordenada por La Machi, Comunicação para Boas Causas, e conta com o apoio da Companhia de Jesus, IndigoMusic, GettyImagesLatam, e tem a colaboração do Centro Televisivo Vaticano.

“Elas são perseguidas e mortas por serem cristãs”, continua o papa no vídeo, que mostra três pessoas, de diferentes denominações cristãs: uma católica, uma protestante e uma cristã ortodoxa.

Francisco já se pronunciou sobre um “ecumenismo de sangue”, pois, como diz no vídeo, aqueles que perseguem cristãos não fazem distinção entre as comunidades religiosas.

“Pergunto: quantos de vocês oram pelos cristãos perseguidos?”, declara Francisco antes de fazer as intenções mensais, em que pede o apoio via orações e ajuda material de todas as igrejas e comunidades.

De acordo com a Ajuda à Igreja que Sofre, fundação pontifícia que recentemente se juntou à iniciativa como um grande benfeitor, a liberdade religiosa diminuiu em 11 dos 23 países classificados como de perseguição.

O Relatório da Liberdade Religiosa, da citada fundação, revelou que em sete dos piores países – Afeganistão, Iraque, Nigéria, Coreia do Norte, Arábia Saudita, Somália e Síria –, os cristãos têm enfrentado um nível de intolerância e opressão tão grave que a tendência é somente a de piorar.

Estes vídeos partem das intenções mensais papais, que há anos são confiadas à Rede Mundial de Oração do Papa, organização jesuíta conhecida como “Apostolado da Oração”. A iniciativa de apresentá-las em vídeo, que inclui filmagens exclusivas feitas com o papa, começou no ano passado, numa tentativa de torná-los mais conhecidos.

Segundo o padre jesuíta Frédéric Fornos, diretor internacional da Rede Mundial de Oração do Papa e do setor de juventude da organização, “a intenção de Francisco este mês é tão delicada quanto urgente”.

“Milhares de cristãos em todo o mundo são discriminados ou perseguidos pelo simples fato de serem cristãos”, disse ele em nota. “Não esqueçamos que também existem outras perseguições religiosas”.

Johannes Heereman, presidente da Ajuda à Igreja que Sofre, disse na mesma nota que a liberdade religiosa é um princípio fundamental dos direitos humanos.

“Nas manchetes das notícias vemos quase todos os dias um vínculo claro entre a violência, a opressão e a negação deste direito humano básico”, falou. “Acreditamos que é preciso levantar a voz quando qualquer comunidade de fé está a ser injustamente atacada”.

Um exemplo recente é o relato dos cristãos que escaparam da Península do Sinai, no Egito, fugindo aos ataques feitos por milícias do grupo Estado Islâmico que perpetraram uma série de assassinatos sectários.

Na quarta-feira, a Anistia Internacional disse que o governo egípcio não dava conta de proteger as centenas de cristãos coptas que fugiram de suas casas.

Segundo foi dito, a resposta não conseguiu proteger a minoria perseguida, e que depois dos ataques sectários o governo buscou acordos conciliatórios entre as comunidades ao invés de perseguir os responsáveis.

Estima-se que 200 milhões de cristãos ao redor do mundo correm o risco de perseguição física, e uma estimativa por baixo do número de cristãos mortos por motivos religiosos anualmente faria um novo mártir a cada hora, durante os 365 dias do ano.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Papa Francisco reza pelos cristãos perseguidos. Veja o vídeo - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV