Igreja australiana admite sua “negligência criminosa” nos escândalos de abusos contra menores

Revista ihu on-line

Grande Sertão: Veredas. Travessias

Edição: 538

Leia mais

Grande Sertão: Veredas. Travessias

Edição: 538

Leia mais

A fagocitose do capital e as possibilidades de uma economia que faz viver e não mata

Edição: 537

Leia mais

A fagocitose do capital e as possibilidades de uma economia que faz viver e não mata

Edição: 537

Leia mais

Juventudes. Protagonismos, transformações e futuro

Edição: 536

Leia mais

Juventudes. Protagonismos, transformações e futuro

Edição: 536

Leia mais

Mais Lidos

  • Livro analisa os teólogos, a virada ecumênica e o compromisso bíblico do Vaticano II

    LER MAIS
  • Desigualdade bate recorde no Brasil, mostra estudo da FGV

    LER MAIS
  • Adaptando-se a uma ''Igreja global'': um novo comentário internacional sobre o Vaticano II. Artigo de Massimo Faggioli

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

24 Fevereiro 2017

“Negligência criminosa”. A Igreja australiana confessou, ontem, seus pecados na gestão da pedofilia clerical no país. Após o arrepiante depoimento de dom Long, um bispo que sofreu abusos por parte de um sacerdote em sua chegada ao país, ontem, foi a vez dos arcebispos na Real Comissão criada pelo Governo.

A reportagem é publicada por Religión Digital, 23-02-2017. A tradução é do Cepat.

Uma Comissão que tornou pública cerca de 4.500 denúncias por supostos abusos cometidos por 1.880 sacerdotes e religiosos, entre 1980 e 2015, razão pela qual a Justiça australiana também pediu o comparecimento do “superministro da Economia” vaticano, o cardeal Pell.

“Foi um tipo de negligência criminosa a gestão de alguns dos problemas que estavam diante de nós”, admitiu o arcebispo de Sydney, Anthony Fischer, ressaltando que “em outros casos, pessoas atuaram como coelhos frente aos faróis, ou seja, não tinham ideia sobre o que fazer e suas atuações foram desastrosas”.

“A resposta (da Igreja) foi totalmente inadequada, simplesmente totalmente inadequada”, acrescentou o arcebispo de Melbourne, Denis Hart. Por sua parte, o prelado de Perth, Timothy Costelloe, admitiu o “fracasso catastrófico” por parte dos líderes da Igreja, ao passo que o de Brisbane, Mark Coleridge, a considerou como “um fracasso colossal da cultura (religiosa)”.

Os arcebispos destacaram que se desculparam pelos abusos sexuais contra menores cometidos no seio da instituição, um gesto que a advogada conselheira da comissão, Gail Furness, qualificou como “necessário, mas não suficiente”, segundo ABC.

O arcebispo de Adelaide, Philip Wilson, admitiu que a resposta às denúncias deve melhorar especialmente no contato com as vítimas, no cumprimento de obrigações legais, na gestão com os agressores, na investigação de candidatos ao clero e na proteção do bem-estar dos menores.

À audiência compareceu Eileen Piper, de 92 anos, cuja filha, Stephanie, suicidou-se em 1994, após sofrer durante anos os abusos sexuais de um sacerdote, para reivindicar ao arcebispo de Melbourne uma desculpa em nome da Igreja.

A mulher denunciou à Polícia que foi estuprada por um sacerdote de um clube católico para jovens, mas as responsabilidades foram desestimuladas após seu suicídio, embora posteriormente o religioso tenha sido condenado por abusar de outros dois adolescentes.

A comissão foi estabelecida em 2012 para investigar a resposta das autoridades aos casos de abusos sexuais contra menores cometidos em instituições públicas, sociais, esportivas e religiosas.

No ano passado, um comitê apresentou 99 recomendações às autoridades sobre como atender as vítimas, além de um plano de compensações de 4 bilhões de dólares australianos financiados pelos centros onde se cometeram os abusos.

Em novembro, o Governo da Austrália anunciou que indenizará cada uma das vítimas de abusos sexuais cometidos no seio de instituições públicas e religiosas do país com até 150.000 dólares locais.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Igreja australiana admite sua “negligência criminosa” nos escândalos de abusos contra menores - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV