Um recado sobre o clima para Trump

Revista ihu on-line

Vilém Flusser. A possibilidade de novos humanismos

Edição: 542

Leia mais

Planos de saúde e o SUS. Uma relação predatória

Edição: 541

Leia mais

Hans Jonas. 40 anos de O princípio responsabilidade

Edição: 540

Leia mais

Mais Lidos

  • “A Terra é um presente para descobrir que somos amados. É preciso pedir perdão à Terra”, escreve o Papa Francisco

    LER MAIS
  • Piketty: a ‘reforma agrária’ do século XXI

    LER MAIS
  • Sínodo, o único sacerdote indígena: “Eu deixaria o sacerdócio se entendesse que o celibato não serve mais para mim”

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

13 Janeiro 2017

Mais de 540 empresas e 100 investidores – desde corporações emblemáticas da lista Fortune 500 a pequenas empresas familiares – estão pedindo ao governo Trump e ao novo Congresso que apoiem políticas para acelerar um futuro com baixas emissões de carbono para combater as mudanças climáticas.

A reportagem foi publicada por Envolverde, 10-01-2017.

Entre os signatários estão nomes conhecidos do grande público, como Nike, L’Oreal, Levi’s, Starbucks, Gap, Hilton, Johnson & Johnson e Unilever, e grandes corporações multinacionais como DuPont, General Mills, Hewlett Packard Enterprise, IKEA, Kellogg Company, Mars Incorporated, Pacific Gas e Electric, Schneider Electric, Sealed Air e VF Corporation, entre outros. Juntas, elas representam uma receita anual de quase US$ 1,15 trilhão, estão sediadas em 44 estados e empregam cerca de 1,8 milhão de pessoas.

A declaração destaca que o apoio a uma economia com baixas emissões de carbono é mais forte do que nunca: quase metade das empresas listadas na Fortune 500 têm metas para reduzir as emissões de gases de efeito estufa, utilizar energia renovável e/ou aumentar a eficiência energética.

Mais da metade desses signatários divulgou uma declaração de apoio ao Acordo Climático de Paris na COP22 em Marrakech em novembro. O número de signatários quase dobrou em apenas 60 dias desde então e espera-se que mais companhias e investidores assinem nas próximas semanas e meses. Agora, eles reafirmam seu “profundo empenho” em lidar com as mudanças climáticas e se comprometeram a fazer a sua parte – em suas próprias operações e além – para “cumprir os compromissos do Acordo Climático de Paris de uma economia global que limita o aumento da temperatura global bem abaixo de dois graus Celsius”.

“É imperativo que as empresas tomem um papel ativo no cumprimento dos objetivos estabelecidos pelo Acordo Climático de Paris”, disse Anna Walker, Diretora Sênior de Política Global e Advocacy da Levi Strauss & Co. “Será fundamental que trabalhemos juntos para garantir que os EUA mantenham sua liderança climática, garantindo, em última instância, a prosperidade econômica de longo prazo de nossa nação “.

Especificamente, os signatários estão convidando os líderes eleitos dos EUA a apoiarem fortemente:

  • A continuação das políticas de baixo carbono para que os EUA possam cumprir ou exceder os compromissos nacionais já assumidos.
  • O investimento em uma economia de baixa emissão de carbono no país e no exterior, a fim de dar aos decisores financeiros clareza e aumentar a confiança dos investidores.
  • A continuação da participação dos EUA no Acordo Climático de Paris, a fim de fornecer a direção de longo prazo necessária para limitar o aquecimento global.

“Com dezenas de bilhões de dólares de investimentos em energia renovável nos EUA neste ano, e muito mais globalmente, a questão para a liderança política norte-americana é se eles querem aproveitar esse impulso e seu potencial de crescimento econômico”, disse Jonas Kron, Vice-presidente da Trillium Asset Management. “É extremamente importante perceber que esta é uma oportunidade que os legisladores nacionais também podem aproveitar, e não só os líderes nacionais”. Juntos, os investidores signatários gerenciam mais de US$ 2 trilhões em ativos e incluem instituições líderes como o Fundo de Aposentadoria do Estado de Nova York, o Sistema de Aposentadoria de Professores da Califórnia (CalSTRS), Westpath Benefits and Investments, além da Trillium Asset Management.

“A Unilever continua empenhada em lidar com as mudanças climáticas e implementar práticas comerciais que apóiem uma economia de baixo carbono”, disse Kees Kruythoff, presidente da Unilever North America. “Continuamos a apoiar e seguir o Acordo de Paris e a meta global da Unilever de ser carbono positiva até 2030”.

A íntegra da declaração de apoio, a lista de signatários e um mapa interativo mostrando o quão generalizado é o apoio das empresas nos EUA podem ser encontrados aqui.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Um recado sobre o clima para Trump - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV