Em crítica a Tarso, dirigente do PT diz que 'descontentes deveriam deixar' o partido

Revista ihu on-line

Caetano Veloso. Arte, política e poética da diversidade

Edição: 549

Leia mais

Mulheres na pandemia. A complexa teia de desigualdades e o desafio de sobreviver ao caos

Edição: 548

Leia mais

Clarice Lispector. Uma literatura encravada na mística

Edição: 547

Leia mais

Mais Lidos

  • Santa Teresa de Jesus: inquieta, andarilha, desobediente e muito mais...

    LER MAIS
  • COP26. Kerry reduz as expectativas sobre a cúpula de Glasgow: “Rumo a compromissos ainda insuficientes para alcançar…”

    LER MAIS
  • Diocese Anglicana no Paraná sagrará bispa coadjutora em Curitiba

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


05 Novembro 2016

Em reação à entrevista do ex-governador do Rio Grande do Sul Tarso Genro, o dirigente petista Francisco Rocha, o Rochinha, coordenador nacional da corrente majoritária Construindo um Novo Brasil (CNB), disse que os descontentes deveriam deixar PT.

“Não é o Tarso que mudou para o Rio de Janeiro para construir uma alternativa de esquerda? Ele acha que é o único limpo no PT, mas não é. Os que não estiverem contentes que saiam do PT, e saia com tempo porque a Marta Suplicy (PMDB) saiu e se ferrou, a Marina Silva (Rede) saiu e se ferrou”, disse Rochinha, que também integra a Comissão de Ética do PT.

A reportagem é de Ricardo Galhardo, publicada por O Estado de S. Paulo, 04-11-2016.

Na entrevista publicada nesta quinta-feira, 3, Genro espera que o partido assuma a responsabilidade por crimes cometidos por petistas em nome do partido, mas que os integrantes do PT que desviaram dinheiro em proveito próprio sejam apontados publicamente. O ex-governador disse ainda que se o grupo hegemônico, liderado pela CNB, impedir uma reformulação profunda, pessoas vão sair do PT.

“Por que ele mesmo não aponta os nomes? Ele foi ministro da Justiça e deve saber. Se ele tem provas de que alguém desviou para si próprio que aponte os nomes. Se tiver provas eu mesmo peço uma Comissão de Ética e ponho para fora”, reagiu Rochinha.

Tarso é um dos principais adversários internos da CNB desde que em 2005, no auge do julgamento do mensalão, liderou um racha na corrente majoritária e criou a Mensagem ao Partido, segunda maior tendência petista. Na época, Tarso defendeu a “refundação” do partido.

“A crítica que ele está fazendo, de forma disfarçada, ainda é em relação ao mensalão, quando ele não conseguiu fazer o que queria”, apontou Rochinha. “Tarso tem mania de procurar chifre em cabeça de cavalo. Procura defeitos nos outros, mas não procura os dele mesmos. Nunca soube que o Tarso tenha ido a Cabrobró (PE) ou ao Pará para se reunir com militantes do PT”, concluiu o dirigente petista.

As declarações de Rochinha põem acirra a disputa interna do PT, inflamada ainda mais pela derrota acachapante do partido nas eleições municipais deste ano. Na semana que vem, o Diretório Nacional do PT se reúne, com as presença do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, para decidir a forma de escolha dos novos dirigentes e a amplitude da reformulação do PT.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Em crítica a Tarso, dirigente do PT diz que 'descontentes deveriam deixar' o partido - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV