Mudança na política de imigração dos Estados Unidos retém milhares de haitianos na fronteira

Revista ihu on-line

Hans Jonas. 40 anos de O princípio responsabilidade

Edição: 540

Leia mais

Do ethos ao business em tempos de “Future-se”

Edição: 539

Leia mais

Grande Sertão: Veredas. Travessias

Edição: 538

Leia mais

Hans Jonas. 40 anos de O princípio responsabilidade

Edição: 540

Leia mais

Do ethos ao business em tempos de “Future-se”

Edição: 539

Leia mais

Grande Sertão: Veredas. Travessias

Edição: 538

Leia mais

Mais Lidos

  • Comunhão na Igreja dos EUA ''já está fraturada''. Entrevista com Massimo Faggioli

    LER MAIS
  • Vozes que desafiam. A vida de Simone Weil marcada pelas opções radicais

    LER MAIS
  • A disrupção é a melhor opção para evitar um desastre climático, afirma ex-presidente irlandesa

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

Por: João Flores da Cunha | 12 Outubro 2016

Uma mudança recente na política de imigração dos Estados Unidos fez com que milhares de haitianos ficassem retidos na fronteira deste país com o México. No último dia 22-09, o governo de Barack Obama anunciou que não permitiria mais que haitianos sem documentos entrassem no país. Desde então, os imigrantes desse país que vêm pela América Central estão retidos no México, sem conseguir atravessar a fronteira com os Estados Unidos. Estima-se que 8 mil haitianos estejam no estado da Baixa Califórnia, onde fica Tijuana.

Desde o terremoto que devastou o Haiti em 2010, os Estados Unidos vinham adotando uma política de imigração flexível em relação aos cidadãos desse país, por razões humanitárias. A entrada deles era permitida, mesmo que não portassem os documentos necessários. Além disso, em casos de deportação, essa não se aplicava imediatamente aos haitianos que já estivessem nos Estados Unidos.

O aumento do fluxo de imigrantes em 2016, no entanto, provocou o fim dessa flexibilização na política imigratória. Muitos dos haitianos que agora estão na fronteira do México com os Estados Unidos vêm do Brasil, de onde saíram por conta dos efeitos da crise econômica, e percorrem por terra o caminho pela América Central até a Baixa Califórnia.

Se os outros países das Américas se mostram incapazes de absorver o fluxo de refugiados, a perspectiva é que as condições que obrigam os haitianos a deixar seu país só devem piorar. Na última semana, o furacão Matthew causou mais de mil mortes e provocou devastação em cidades do sul e do sudoeste do país.

O Haiti nunca se recuperou do terremoto de 2010, que provocou a morte de mais de 200 mil pessoas. Desde então, o país vive uma espécie de crise humanitária permanente. Um surto de cólera, doença que foi levada ao Haiti pela presença de soldados das forças de paz da Organização das Nações Unidas – ONU, provocou milhares de mortes na sequência do terremoto.

País mais pobre da América Latina, o Haiti teve suas eleições presidenciais adiadas por causa da passagem do furacão. Elas já haviam sido suspensas em duas ocasiões, por suspeitas de manipulação dos resultados. Um governo provisório está à frente do país desde fevereiro.

Leia mais:

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Mudança na política de imigração dos Estados Unidos retém milhares de haitianos na fronteira - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV