Primeiro filho de 'três pessoas' nasce a partir de nova técnica

Revista ihu on-line

Vilém Flusser. A possibilidade de novos humanismos

Edição: 542

Leia mais

Vilém Flusser. A possibilidade de novos humanismos

Edição: 542

Leia mais

Planos de saúde e o SUS. Uma relação predatória

Edição: 541

Leia mais

Planos de saúde e o SUS. Uma relação predatória

Edição: 541

Leia mais

Hans Jonas. 40 anos de O princípio responsabilidade

Edição: 540

Leia mais

Hans Jonas. 40 anos de O princípio responsabilidade

Edição: 540

Leia mais

Mais Lidos

  • Aos 15 anos da morte do filósofo francês Jacques Derrida, o último subversivo

    LER MAIS
  • Como a ciência defende a floresta. Entrevista com Carlos Afonso Nobre

    LER MAIS
  • Santa Irmã Dulce, a ''Madre Teresa brasileira''. Bolsonaro ausente

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

28 Setembro 2016

Uma nova técnica de fertilização auxiliou no nascimento de um bebê gerado por três pessoas, segundo a revista científica "New Scientist".

A informação é publicada por BBC Brasil, 27-09-2016.

O menino hoje com cinco meses, tem o DNA do pai e o da mãe somados a uma pequena parte do código genético de uma doadora.

Médicos americanos deram o passo, sem precedentes, para evitar que o bebê tivesse uma doença genética que sua mãe, uma jordaniana, carregava.

Ela é portadora da síndrome de Leigh, que teria consequências fatais para o bebê ao atacar seu sistema nervoso central.

Especialistas dizem que a técnica pode inaugurar uma nova era da Medicina ao possibilitar que famílias evitem que seus descendentes sofram de determinadas doenças genéticas.

Mas eles alertam que checagens rigorosas ainda devem ser feitas na nova tecnologia, chamada de doação mitocondrial.

Como funciona

As mitocôndrias são pequenas estruturas presentes em todas as células do corpo humano, responsáveis por converter alimento em energia.

Algumas mulheres, porém, carregam defeitos genéticos nas mitocôndrias e podem passá-los para seus filhos.

Mas os cientistas desenvolveram uma técnica para isolar o problema.

Eles usaram uma técnica para reparar a mitocôndria no óvulo materno antes de fertilizá-lo em laboratório com espermatozoide do pai.

O procedimento consiste em usar parte de um óvulo saudável de uma doadora combinado com o núcleo do óvulo da mãe.

Dessa forma o bebê fica só com 0,1% do DNA da doadora (DNA mitocondrial) e com o código genético da mãe, que define características como a cor dos cabelos e dos olhos dos pais.

A equipe de médicos americanos viajou para o México para realizar o procedimento, pois naquele país não há leis que impeçam esse tipo de tratamento.

Mas não é a primeira vez que cientistas tentaram um método de reparar mitocôndrias gerando um bebê saudável.

No final da década de 1990, pesquisadores realizaram experimentos envolvendo uma técnica chamada transferência citoplasmática, que envolve a introdução de mitocôndrias saudáveis em óvulos.

Leia mais...

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Primeiro filho de 'três pessoas' nasce a partir de nova técnica - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV