O cardeal O’Malley critica Trump e sua política antimuçulmana

Revista ihu on-line

Do ethos ao business em tempos de “Future-se”

Edição: 539

Leia mais

Do ethos ao business em tempos de “Future-se”

Edição: 539

Leia mais

Grande Sertão: Veredas. Travessias

Edição: 538

Leia mais

Grande Sertão: Veredas. Travessias

Edição: 538

Leia mais

A fagocitose do capital e as possibilidades de uma economia que faz viver e não mata

Edição: 537

Leia mais

A fagocitose do capital e as possibilidades de uma economia que faz viver e não mata

Edição: 537

Leia mais

Mais Lidos

  • ''Há um plano para forçar Bergoglio a renunciar", denuncia Arturo Sosa

    LER MAIS
  • EUA: um complô para fazer com que o papa renuncie

    LER MAIS
  • “Construímos cidades para que as pessoas invistam, não para que vivam”. Entrevista com David Harvey

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

Por: André | 22 Julho 2016

Em uma entrevista à cadeia estatal da Irlanda, a RTÉ, o cardeal de Boston, Sean O’Malley, criticou o candidato republicano à presidência dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmando que está “preocupado” com a retórica antimuçulmana que o magnata vem ostentando ao longo da campanha.

A reportagem é de Cameron Doody e publicada por Religión Digital, 21-07-2016. A tradução é de André Langer.

Falando 48 horas depois do ataque terrorista na cidade francesa de Nice, e perguntado sobre se está preocupado com a solução simplista proposta por Trump de submeter os muçulmanos que entrarem nos Estados Unidos a uma vigilância especial e a um programa de rotulagem racial e religiosa – ou de proibi-los terminantemente de seguirem a religião na entrada no país – o cardeal O’Malley disse que sim, que lhe causa inquietação a veemência com que o magnata expressou suas ideias nesta temática.

“É muito fácil alimentar o rancor e jogar a culpa em determinados grupos de pessoas”, disse o arcebispo de Boston, recordando que em outro momento da história os irlandeses foram responsabilizados pelos problemas econômicas dos Estados Unidos. Para O’Malley, as múltiplas questões apresentadas pelo atual drama dos refugiados mundo afora são muito importantes para serem usadas com vistas a um benefício político: “Creio que a imigração é algo tão importante que requer muita reflexão: temos necessidade de que pessoas com sabedoria proponham o que seria melhor para o bem comum”, avaliou o cardeal. “E parte da questão é cuidar dos refugiados que vêm para os Estados Unidos”.

“Todos temos necessidade de leis imigratórias justas”, prosseguiu na entrevista o cardeal capuchinho, “e de uma maneira de tratar a imigração que não desumanize as pessoas”. Como exemplo da forma desta política equitativa poderia tomar-se, assinalou O’Malley, a particular insistência do Papa Francisco no diálogo – “temos de buscar o que todos temos em comum”, opinou – e na história dos próprios Estados Unidos, e nas oportunidades que o país ofereceu aos imigrantes que acolheu desde o princípio como nação.

“A acolhida de imigrantes foi nossa fortaleza”, disse o cardeal. “Eles trazem consigo tanta energia, tanto desejo de construir um mundo melhor para seus filhos, tanta vontade de trabalhar, tanto desejo de contribuir que são um recurso incrível para o nosso país”, continuou. E embora todos tenham que contribuir para solucionar os problemas que motivam os refugiados a abandonar seus países – sejam estes a guerra, a injustiça econômica, ou outras formas de opressão –, estes não devem, na opinião do cardeal, nos eximir diante da necessidade de oferecer-lhes a máxima hospitalidade.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

O cardeal O’Malley critica Trump e sua política antimuçulmana - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV