“A misericórdia, fundamento da vida da missão”. Mensagem do superior geral dos Irmãos Maristas

Revista ihu on-line

Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

Edição: 546

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Mais Lidos

  • “Não seremos salvos pelo moralismo, mas pela caridade”. Artigo do Papa Francisco

    LER MAIS
  • A contagem regressiva para a próxima pandemia

    LER MAIS
  • Carta de alerta a todas as autoridades políticas e sanitárias brasileiras sobre a Covid-19

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


06 Junho 2016


A mensagem deste ano do Superior geral dos Irmãos Marista, Emili Turú, para a festa de São Marcelino Champagnat, no dia 6 de junho, se inscreve no contexto da celebração do Ano Fourvière (200 anos de fundação da Sociedade de Maria – 23 de julho de 1816) e do Jubileu da Misericórdia.
Champagnat e seus jovens amigos sacerdotes sonhavam com uma igreja de rosto mariano, isto é, com entranhas de misericórdia, assinala o Irmão Emili Turú. “Sonhavam com uma comunidade cristã que  tivesse a misericórdia como base de sua vida e missão”.

O Irmão Felix Donald Banish recorda o gesto simbólico do Papa, que chama à reconciliação, ao inaugurar o Ano Jubilar na capital da República Centro Africana, em novembro de 2015.

Assumindo que a misericórdia dá vida, o Irmão Emili convidou a dois maristas de Champagnat (Carole Wark e Giusy Orlando) para falar da experiência de ser mãe, porque podem nos explicar a relação evidente, na raiz etimológica da palavra hebraica, entre ventre e misericórdia.

Na segunda parte da mensagem, o Superior Geral ressalta que o Ano jubilar nos convida a ser misericordiosos como o Pai, “a amar concretamente a todas as pessoas, deixando-nos comover por suas necessidades”, abrindo os corações como pede o Papa, “a todos que vivem nas mais contraditórias periferias existenciais, que com frequência o mundo moderno dramaticamente cria”.

 


O Irmão Emili recorda que há muitos maristas que vivem este chamado feito pelo Papa. Nesse contexto oferece espaço aos irmãos de África, René M’Bumba Nsasi (República Democrática do Congo) e Straton Malisaba (Ruanda), para que recordem o desafio do ideal de Marcelino, busca a proximidade com os mais vulneráveis.

“Nossos irmãos de África nos recordam que não são necessários grandes meios para exercer a misericórdia. Basta um coração sensível e fraterno e uma grande confiança em Maria, nossa Boa e terna Mãe”, sintetiza o Irmão Emili.

Finalmente, o Superior Geral dos Irmãos Maristas, recordando que o “projeto Fourvière” é um projeto de misericórdia, agradece o dom dos diferentes ramos maristas, que nos últimos 200 anos “se esforçaram em ser presença misericordiosa do Pai à maneira de Maria”.

O Irmão Emili conclui pedindo “que São Marcelino e o testemunho de tantos maristas de Champagnat em todo mundo, nos tornem mais fieis ao espírito de Fourvière, mais misericordiosos”.

Nota da IHU On-Line: O vídeo completo, com a mensagem, em espanhol, pode ser visto aqui.

Veja também:

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

“A misericórdia, fundamento da vida da missão”. Mensagem do superior geral dos Irmãos Maristas - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV