Dom Hélder Câmara, beato?

Revista ihu on-line

Vilém Flusser. A possibilidade de novos humanismos

Edição: 542

Leia mais

Planos de saúde e o SUS. Uma relação predatória

Edição: 541

Leia mais

Hans Jonas. 40 anos de O princípio responsabilidade

Edição: 540

Leia mais

Vilém Flusser. A possibilidade de novos humanismos

Edição: 542

Leia mais

Planos de saúde e o SUS. Uma relação predatória

Edição: 541

Leia mais

Hans Jonas. 40 anos de O princípio responsabilidade

Edição: 540

Leia mais

Mais Lidos

  • “O que acumulamos e desperdiçamos é o pão dos pobres”, afirma o papa Francisco em carta à FAO

    LER MAIS
  • Metade dos brasileiros vive com R$ 413 mensais

    LER MAIS
  • O Sínodo nos ajuda a entender que a solução não está no Direito Canônico, mas na profecia

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

28 Abril 2016

Desde o dia 28 de agosto de 2014, uma especial comissão histórica está atuando, tendo em vista a causa de beatificação de Dom Hélder Câmara, nomeada pelo arcebispo de Olinda e Recife, Dom Fernando Saburido OSB, composta por quatro especialistas em estudos históricos: prof. Luiz Carlos Luz Marques, Universidade Católica de Pernambuco; Lucy Pina Neta, Instituto Dom Helder Câmara; prof. José Oscar Beozzo da Comissão de Estudos de História da Igreja na América Latina e do Centro Ecumênico de Serviços de Evangelização e de Educação Popular (São Paolo), e Silvia Scatena, da Universidade de Modena e da Fundação João XXIII, de Bolonha.

A informação é de Francesco Strazzari, professor de Ciência Política, em Pisa, Itália, publicada por Settimana, 23-04-2016. A tradução é de Ramiro Mincato

A Comissão dedicou o primeiro ano de trabalho em consultar arquivos procurando documentos relativos a dom Hélder. Fizeram-se pesquisas em Fortaleza, onde dom Hélder nasceu, formou-se, e dedicou seus primeiros anos de ministério (1909-1936); nos arquivos da Cúria Metropolitana e no Seminário da Prainha; na Arquidiocese do Rio de Janeiro, onde Dom Hélder trabalhou como padre e depois como bispo e arcebispo auxiliar (1936-1964); nos arquivos da Cúria metropolitana e nos arquivos privados de Maria Luiza e Edgar Amarante, Marina Bandeira e Marina Araújo, que faziam parte de sua equipe de trabalho naquela cidade; nos arquivos do Dr. Alceu Amoroso Lima, amigo de Dom Hélder, com quem manteve correspondência epistolar, desde os tempos do seminário, que estão no centro Alceu Amoroso Lima para a liberdade, em Petrópolis e no Fundo Vaticano II, na documentação dos padres Conciliares Brasileiros, arquivada na Biblioteca Trabalho Social Redentorista de Pesquisa Religiosa, em São Paulo. Foram também consultados o Centro de Documentação da Fundação Getúlio Vargas, no Rio de Janeiro; os arquivos da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, da qual Dom Hélder foi fundador e secretário-geral por doze anos (1952-1964), e no Arquivo do Memorial Juscelino Kubistchek, em Brasília. Em Recife foram consultados os arquivos do Instituto Dom Hélder Câmara e da Cúria Arquidiocesana, e foram entrevistadas pessoas que estavam em contato e trabalharam com ele.

Fora do Brasil, pesquisaram os arquivos do jornalista francês José de Broucker, o primeiro biógrafo de Dom Hélder. Seu arquivo encontra-se na Universidade de Louvain-La-Neuve, Bélgica. (Arquivos do mundo católico - ARCA).

Os pesquisadores agora estão trabalhando na análise e seleção de uma parte documentação recolhida. A Comissão dedicou-se, sobretudo, em examinar toda a correspondência ativa e passiva; em elaborar a lista de trabalhos publicados sobre o servo de Deus e suas ações, ou aquelas a ele atribuídas; e em conseguir notícias e artigos publicados em periódicos nacionais e internacionais.

Na reunião da Comissão de História com o postulador da causa, frei Jociel João Gomes da Silva, OFMCap., em 19 de abril passado, em Recife, revisou-se tudo o que foi feito pela Comissão; examinou-se os critérios para a seleção dos escritos mais significativos nos diferentes gêneros literários usados por Dom Hélder: cartas, programas de rádio, sermões, discursos, meditações, poemas, o formato e a extensão do relatório final com os respectivos anexos. Estes escritos, selecionados e analisados a partir de um ponto de vista histórico, serão submetidos a uma comissão de três teólogos, que os examinarão quanto à sua conformidade com os ensinamentos da Igreja.

Em 20 de abril, os membros da Comissão visitaram o Instituto Dom Hélder Câmara e reuniram-se com a Direção em vista de fornecer a documentação inédita para a consideração dos teólogos.

A Comissão espera que no ano em curso se possa finalizar a fase diocesana do processo, para começar a entregar a documentação à Congregação para as Causas dos Santos.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Dom Hélder Câmara, beato? - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV