Condenado por abuso de coroinhas, padre estuda processar 'Spotlight'

Revista ihu on-line

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Mais Lidos

  • O que deve ser cancelado? Eis a questão

    LER MAIS
  • CNBB emite nota sobre o desrespeito à fé cristã

    LER MAIS
  • Indígena assassinado no Maranhão é o 4º Guajajara morto de forma violenta em menos de dois meses

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

18 Fevereiro 2016

Religioso que foi condenado a mais de 60 anos de prisão por abuso sexual a adolescentes, o padre José Afonso Dé, 82, de Franca (a 400 km de São Paulo), estuda processar os produtores do filme "Spotlight - Segredos Revelados", um dos concorrentes ao Oscar de melhor filme. A informação foi publicada no jornal "O Estado de S. Paulo". Inspirado em uma intensa investigação jornalística do diário "The Boston Globe", "Spotlight" relata como a cúpula local da Igreja Católica acobertou dezenas de padres acusados de molestar crianças e adolescentes. A cobertura rendeu um prêmio Pulitzer em 2003 ao jornal.

A reportagem é de Marcelo Toledo, publicado por Portal Uol, 17-02-2016.

No final do filme, é exibida uma lista com cidades em que padres foram acusados de cometer abusos contra crianças, e Franca é citada pelos casos envolvendo o religioso. Em 2010, padre foi denunciado pelo Ministério Público Estadual pela suposta prática de crimes sexuais contra oito coroinhas que o auxiliavam na paróquia São Vicente de Paulo.

No ano seguinte, ele foi condenado pela 2ª Vara Criminal de Franca a 60 anos e oito meses de prisão por estupro e atentado violento ao pudor. Com recurso acolhido pelo TJ (Tribunal de Justiça), responde em liberdade. O argumento da defesa de é que, após a condenação, o padre acabou sendo absolvido em sete das nove acusações de abuso sexual às quais era acusado.

Agora, o religioso, que sempre alegou ser inocente, aguarda o desfecho dos outros dois processos para decidir se processa ou não os produtores do filme pela inclusão na chamada "Lista da Vergonha". "Caso o padre venha a ser absolvido em todos os casos, isso poderá resultar, a critério dele, no direito a exigir indenização por ofensa à honra, por ter sido incluído na lista", afirmou o advogado José Chiachiri Neto, que o defende.

Um dos desembargadores votou pela absolvição do padre em todos os casos, mas outros dois votaram pela sua absolvição parcial. Assim, o religioso continua condenado em dois casos, mas Chiachiri Neto afirmou que já entrou com recurso para buscar a absolvição total. O defensor disse que os atos praticados pelo religioso não tiveram conotação sexual.

OUTROS CASOS

Os casos de pedofilia no Brasil envolvendo religiosos citados no filme são marcados por punições e protelações. Além do episódio de Franca, outros casos listados por "Spotlight" no país ocorreram em Arapiraca (AL), Mariana (MG) e Rio de Janeiro. Segundo Chiachiri Neto, a pena dada ao padre é uma "aberração", principalmente porque o religioso nem teria condições de cometer abusos por ter feito uma cirurgia de câncer de próstata há mais de 15 anos e, desde então, ser impotente sexual. Hoje, suspenso de atividades públicas pela Igreja, o padre desenvolve atividades religiosas em sua casa, com evangelização de casais.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Condenado por abuso de coroinhas, padre estuda processar 'Spotlight' - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV