Vaticano: Conselho dos Cardeais deve focar na “descentralização” da Igreja

Revista ihu on-line

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Vilém Flusser. A possibilidade de novos humanismos

Edição: 542

Leia mais

Planos de saúde e o SUS. Uma relação predatória

Edição: 541

Leia mais

Mais Lidos

  • Os Arautos do Evangelho não reconhecem o Comissário do Vaticano, dom Raymundo Damasceno Assis

    LER MAIS
  • Pacto das Catacumbas pela Casa Comum. Por uma Igreja com rosto amazônico, pobre e servidora, profética e samaritana

    LER MAIS
  • A virada autoritária de Piñera. O fracasso de um governo incompetente e corrupto

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

15 Dezembro 2015

Os cardeais que assessoram o Papa Francisco nas reformas da burocracia central vaticana decidiram focar a sua próxima reunião em fevereiro de 2016 na possível descentralização das estruturas eclesiais, anunciou o Vaticano.

O Conselho dos Cardeais irá centrar as suas reflexões em um discurso de Francisco proferido em outubro deste ano no qual ele convidou a Igreja a uma “salutar descentralização”, informou o Vaticano neste sábado (12 de dezembro).

A reportagem é de Joshua J. McElwee, publicada por National Catholic Reporter, 12-12-2015. A tradução é de Isaque Gomes Correa.

O Conselho dos Cardeais é um grupo de nove prelados assessores do papa concernente às reformas da burocracia vaticana, conhecida como Cúria Romana. O grupo esteve reunido desde quinta-feira em Roma pela 12ª.

Sabe-se que o trabalho de assessoria deste grupo levou à instituição de uma nova comissão papal para proteger menores de idade, de uma nova Secretaria para a Economia que tem centralizado as estruturas financeiras do Vaticano e do novo dicastério para os “Leigos, Família e Vida”, que deverá juntar vários dicastérios hoje atuantes.

A informação deste sábado refere-se a um discurso do pontífice feito no dia 17 de outubro durante o Sínodo dos Bispos, encontro de três semanas de duração que reuniu prelados católicos em Roma para debater temas relacionados à vida em família. Em sua alocução, Francisco convidava para uma Igreja mais “sinodal”, que escuta o povo em todos os níveis.

Fazendo referência a sua exortação apostólica Evangelii Gaudium, o papa disse que ele não poderia substituir a capacidade dos bispos em discernir os problemas que os fiéis enfrentam em suas regiões e que estava ciente da “necessidade de proceder em uma salutar ‘descentralização’”.

“Em suas reflexões, o Conselho observou a importância do discurso do dia 17 de outubro proferido pelo Santo Padre, na ocasião da Comemoração do 50º aniversário da Instituição do Sínodo dos Bispos”, lê-se na nota publicada sábado.

“Nesse discurso, o papa desenvolveu extensivamente o tema da ‘sinodalidade’, mas também recordou a ‘necessidade de proceder em uma salutar ‘descentralização’”.

O conselho lembrou a necessidade de aprofundar a significação daquele discurso e sua importância também para o trabalho de reforma da Cúria, a tal ponto de decidir dedicar uma sessão específica ao seu conteúdo durante a sua própria reunião em fevereiro de 2016”, diz o texto divulgado.

O Vaticano não forneceu mais informações sobre o encontro do Conselho ocorrido semana passada, afirmando apenas que os prelados continuaram falando sobre o novo dicastério “Leigos, Família e vida” e também sobre uma proposta de criar um outro departamento vaticano dedicado a “Justiça, Paz e Migrações”.

Este segundo departamento (ou dicastério) foi assunto de especulação durante meses e provavelmente irá reunir o Pontifício Conselho “Justiça e Paz” com outros dois dicastérios para criar um mais amplo e centralizado.

O Vaticano informou que o Conselho igualmente ouviu o Cardeal George Pell, chefe da Secretaria para a Economia e membro do Conselho dos Cardeais, sobre um novo grupo de trabalho criado para refletir a respeito do futuro das estruturas econômicas da Santa Sé e da Cidade Estado do Vaticano.

O Vaticano ainda disse que o cardeal de Boston Sean O’Malley, membro do Conselho dos Cardeais e chefe da nova comissão de tutela dos menores, falou sobre o trabalho em curso de sua comissão, especialmente quanto à criação de programas de educação e formação visando auxiliar as conferências episcopais mundiais.

As reuniões do Conselho dos Cardeais para 2016 foram anunciadas com as datas de 8 e 9 de fevereiro; 11 a 13 de abril; 6 a 8 de junho; 12 a 14 de setembro; e 12 a 14 de dezembro.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Vaticano: Conselho dos Cardeais deve focar na “descentralização” da Igreja - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV