Aberta a caça aos cristãos

Revista ihu on-line

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Mais Lidos

  • O Papa doa aos pobres um prédio de luxo a poucos passos de São Pedro

    LER MAIS
  • Arautos do Evangelho. Vaticano retoma a intervenção

    LER MAIS
  • “Infelizmente, a história da escravidão é contada por pessoas brancas”. Entrevista com Laurentino Gomes

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

04 Novembro 2010

Quarenta e seis católicos foram mortos domingo numa igreja de Bagdá, depois de um ataque suicida organizado pela Al-Qaeda. Não é a primeira vez que comunidades cristãs são massacradas por membros delirantes do Islã. O antigo ditador Saddam Hussein era uma personagem abjeta, mas protegia as minorias cristãs no Iraque. Após seu desaparecimento, está aberta a "caça aos cristãos".

O exemplo do Iraque é o mais dramático, mas a mesma rejeição aos cristãos se observa em toda a região, do Egito ao Irã. Por toda parte, a pregação islâmica se espalha e obriga igrejas cristãs a encolherem e, às vezes, se exilarem.

A rejeição do cristianismo no lugar onde ele nasceu não é de agora. Antes mesmo de se falar de "islamismo", o recuo dos cristãos havia aumentado. Há 45 anos, o papa Paulo VI havia pronunciado estas frases proféticas: "Os lugares santos vão se transformar em museus, após o desaparecimento dos cristãos." O Iraque perdeu, ao que parece, a metade de seus cristãos nos últimos 20 anos. No Egito, estima-se que nos últimos dez anos, 1,5 milhão de coptas (cristãos) emigraram para EUA e Canadá. Líbano e cidades palestinas também perdem seus cristãos.

Embora as estatísticas sejam fluidas e incertas, falseadas pela propaganda de uns ou de outros, os demógrafos estimam que em um século a proporção de cristãos no Oriente Médio passou de 15% para 3% das populações locais.

(cfr. notícia do dia 04/11/10, desta página).

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Aberta a caça aos cristãos - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV