Nenhuma viagem internacional do Papa nos próximos meses. A agenda pastoral de Francisco até 2022 será menos exaustiva

Revista ihu on-line

Caetano Veloso. Arte, política e poética da diversidade

Edição: 549

Leia mais

Mulheres na pandemia. A complexa teia de desigualdades e o desafio de sobreviver ao caos

Edição: 548

Leia mais

Clarice Lispector. Uma literatura encravada na mística

Edição: 547

Leia mais

Mais Lidos

  • Müller também se recusa, na 'TV do diabo', a participar do Sínodo

    LER MAIS
  • Desmatamento na Amazônia já chega a quase 9 mil km² em 2021, mostra Imazon

    LER MAIS
  • Aquele que veio para desconstruir e devastar - Frases dia

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


14 Outubro 2021

 

As prováveis viagens do Papa Francisco, primeiro no final do mês a Glasgow para a COP26 e depois em dezembro a Malta, Grécia e Chipre, parecem sem confirmação e a pergunta que todos se fazem é natural e lógica: qual é a motivação? Essa é a consideração da agência Ansa e parece ser muito provável.

A reportagem é publicada por Il sismografo, 08-10-2021. A tradução é de Luisa Rabolini.

É verdade que nenhuma dessas viagens foi anunciada oficialmente e tudo foi apresentado ao nível de uma hipótese jornalística plausível e fundamentada. Pelo que sabemos, desde ontem só podemos dizer que esses dois compromissos internacionais não fazem parte da agenda papal até o final de 2021. Em Malta, Grécia e Chipre não vai estar o Papa Francisco como anunciado pelas autoridades políticas e religiosas locais que no passado também revelaram momentos do programa. Em Glasgow, o Chefe da Delegação será o Cardeal Secretário de Estado, Pietro Parolin, conforme anunciado hoje pela Sala de Imprensa do Vaticano.

Visto que não parece que o Santo Padre esteja doente, pelo contrário, é evidente que mais de dois meses depois da cirurgia digestiva teve uma excelente recuperação, com toda a probabilidade se trata de decisões cautelares. Por outro lado, também não se trata de compromissos pastorais a serem enfrentados com urgência, por não existirem outros caminhos nem outros tempos. Portanto, pode-se dizer que o Papa Francisco poderá ter uma agenda menos exigente até o próximo ano e sem desgastes físicos extenuantes como são as viagens internacionais.

Na entrevista concedida à Cope, o Papa a respeito da cúpula em Glasgow onde estava e ainda é muito aguardado, respondeu: “Sim, em princípio o programa prevê a minha ida. Tudo depende de como eu me sentir naquele momento... Mas, na verdade, meu discurso já está em preparação, e o programa prevê que eu esteja presente."

 

Leia mais

 

 

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Nenhuma viagem internacional do Papa nos próximos meses. A agenda pastoral de Francisco até 2022 será menos exaustiva - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV