Morreu o cardeal Albert Vanhoye, jesuíta, aos 98 anos. Era o mais idoso do Colégio cardinalício

Revista ihu on-line

Caetano Veloso. Arte, política e poética da diversidade

Edição: 549

Leia mais

Mulheres na pandemia. A complexa teia de desigualdades e o desafio de sobreviver ao caos

Edição: 548

Leia mais

Clarice Lispector. Uma literatura encravada na mística

Edição: 547

Leia mais

Mais Lidos

  • Trabalhador rural cultiva alimento, mas não pode pagar refeição, diz agência da ONU

    LER MAIS
  • Com inflação e cortes, auxílio emergencial que comprava cesta básica hoje compra só 23%

    LER MAIS
  • Refazer os padres, repensando os seminários. Artigo de Erio Castellucci

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


30 Julho 2021

 

O cardeal Albert Vanhoye faleceu hoje às 12h48 na enfermaria da Casa Generalícia dos Jesuítas.

A reportagem é publicada por Il sismografo, 29-07-2021. A tradução é de Luisa Rabolini.

O cardeal Vanhoye, S.I., ex-reitor do Pontifício Instituto Bíblico e ex-secretário da Pontifícia Comissão Bíblica, nasceu em 24 de julho de 1923 em Hazebrouck, na diocese de Lille, no norte da França, na fronteira com a Bélgica. Entrou na Companhia de Jesus em 11 de setembro de 1941 em Le Vignau, proferiu os primeiros votos em 15 de novembro de 1944 e foi ordenado sacerdote em 26 de julho de 1954 em Enghien, Bélgica, por Mons. Henri Dupont, Bispo Auxiliar de Lille.

Ele obteve uma Licenciatura em Literatura (Sorbonne, Paris: 1945-1946); Licenciatura em Filosofia Escolástica (Escolasticado SJ, Vals: 1947-1950) Licenciatura em Teologia (Escolasticado SJ, Enghien, Bélgica: 1951-1955) Licenciatura em Sagrada Escritura (Pontifício Instituto Bíblico: 1958) e Doutorado em Sagrada Escritura (Pontifício Instituto Bíblico: Depois de ter ensinado grego clássico em Izeure e exegese do Novo Testamento em Chantilly, França 1959-1962), a partir de 1963 foi professor no Pontifício Instituto Bíblico. Local onde realizou uma intensa atividade didática ensinando exegese do Novo Testamento até 1993; realizando cursos de exegese da Epístola aos Hebreus e das Epístolas Paulinas; dirigindo cursos de metodologia, cursos de teologia bíblica e seminários sobre Evangelhos, Epístolas e Apocalipse.

Foi orientador de 28 teses de doutorado, sobre vários temas da teologia paulina (kaukêsis, pneuma Christou etc.), de exegese dos Evangelhos (Marcos, Lucas), de estrutura literária (Apocalipse); segundo orientador de 15 teses já defendidas. Ele também orientou vários trabalhos escritos: uma dúzia por ano até 1993, vinculado a seminário ou trabalhos de conclusão de licenciatura; depois de 1993, duas ou três por ano.

Suas principais publicações são: La structure littéraire de l'épître aux Hébreux, 1963, 21976; Situation du Christ. Epître aux Hébreux 1-2, 1969; Prêtres anciens, Prêtre nouveau selon le NT, 1980 (traduzido para italiano, espanhol e inglês); “Comento alla Lettera ai Galati”.

Participou também ativamente na elaboração de documentos que prolongam os trabalhos do Concílio, tais como: "Interprétation de la Bible dans l'Église" (1993) e "Le Peuple Juif et ses saintes Ecritures dans la Bible chrétienne" (2001).

Exerceu também outras atividades para o Pontifício Instituto Bíblico, como a de redator de Biblica per il Nuovo Testamento (1969-1984); redator-chefe de Biblica (1978-1984); diretor de “Analecta Biblica” (desde 1980); Decano da Faculdade Bíblica (1969-1975); Reitor de 1984 a 1990. Sucedeu ao coirmão jesuíta belga, Padre Maurice Gilbert.

Fora do Pontifício Instituto Bíblico, desenvolveu outras atividades acadêmicas como a direção de uma dezena de teses para a Pontifícia Universidade Gregoriana; lecionou na Gregoriana por dois semestres; lecionou no InstitutoEcclesia Mater” da Universidade Lateranense (dois semestres). Ele também foi membro do Studiorum Novi Testamenti Societas (SNTS)” [presidente em 1995], que é internacional e inter-confessional; membro da Associação Bíblica francesa (ACFEB) desde a sua fundação; e participou dos congressos da SNTS, da ACFEB, do “Colloquim Biblicum Lovaniense” (Presidente em 1984), do Colóquio Ecumênico Paulino (Presidente em 1995). Foi membro da Comissão de Preparação da Constituição Apostólica “Sapientia Christiana", posteriormente membro da Pontifícia Comissão Bíblica de 1984 a 2001 e Secretária da mesma de 1990 a 2001; Consultor do Pontifício Conselho para a Promoção da Unidade dos Cristãos de 1980 a 1996. Consultor da Congregação para a Educação Católica desde 1978 e Consultor da Congregação para a Doutrina da Fé desde 1990.

É um dos três “eclesiásticos com mais de oitenta anos” que “em consideração pelos serviços prestados à Igreja com exemplar fidelidade e admirável dedicação” Bento XVI - no final da audiência geral de quarta-feira, 22 de fevereiro de 2006 - anunciou elevá-lo à dignidade de cardeal, chamando-o de "grande exegeta".

Nomeado e publicado cardeal por Bento XVI no Consistório de 24 de março de 2006, do Título de Santa Maria della Mercede e Sant'Adriano em Villa Albani, Diaconia elevada pro hac vice a Título presbiteral. (biografia vatican.va)

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Morreu o cardeal Albert Vanhoye, jesuíta, aos 98 anos. Era o mais idoso do Colégio cardinalício - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV