UFAM realiza defesa póstuma de aluno indígena morto pela Covid-19

Revista ihu on-line

Caetano Veloso. Arte, política e poética da diversidade

Edição: 549

Leia mais

Mulheres na pandemia. A complexa teia de desigualdades e o desafio de sobreviver ao caos

Edição: 548

Leia mais

Clarice Lispector. Uma literatura encravada na mística

Edição: 547

Leia mais

Mais Lidos

  • “Sínodo é até o limite. Inclui a todos: Os pobres, os mendigos, os jovens toxicodependentes, todos esses que a sociedade descarta, fazem parte do Sínodo”, diz o Papa Francisco

    LER MAIS
  • Por que a extrema direita elegeu Paulo Freire seu inimigo

    LER MAIS
  • Ainda há espaço para a missão do padre? Artigo de Giannino Piana

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


10 Fevereiro 2021

Mestre em vida e agora também na eternidade. Ely Ribeiro de Souza, do povo Macuxi, da Terra Indígena Raposa da Serra do Sol (RR), estava prestes a defender sua dissertação de Mestrado em Antropologia Social na Universidade Federal do Amazonas (UFAM) quando, em 21 de janeiro, a Covid-19 o levou.

A reportagem é publicada por Instituto Socioambiental- Isa, 09-02-2021.

Em homenagem ao professor, escritor e assessor do Conselho de Educação Escolar Indígena do Amazonas (CEEI/AM), a UFAM realiza uma banca póstuma nesta sexta-feira (12/02), com transmissão ao vivo via YouTube. Seu orientador, docentes e discentes participam de atividade online a partir das 14h de Manaus (15h de Brasília).

Intitulada “Relações Interétnicas em Contexto Urbano: Coordenação dos Povos Indígenas de Manaus e Entorno - COPIME”, a dissertação foi a última colaboração acadêmica de Ely, que já possuía desde 2008 o título de mestre em Sociedade e Cultura na Amazônia, também pela UFAM.

Ely publicou o livro “Ipaty, O Curumim da Selva” (Editora Paulinas), no qual um menino narra seu cotidiano de aventuras enquanto revela as lendas e as tradições dos Macuxi, indígenas que habitam as serras do estado de Roraima, próximo à fronteira do Brasil com a Venezuela.

“Mergulho para sentir a areia fria no fundo do rio. Se eu não realizar uma caminhada na floresta, não consigo encontrar o equilíbrio. Para nós, indígenas, fé, crença, religiosidade é tudo e está em todos os lugares", escreveu Ely no livro.

O quê: Defesa Póstuma da Dissertação de Mestrado em Antropologia Social de Ely Ribeiro de Souza (Ely Macuxi), trabalho “Relações Interétnicas em Contexto Urbano: Coordenação dos Povos Indígenas de Manaus e Entorno - COPIME". Universidade Federal do Amazonas (UFAM).

Quando: 12 de fevereiro de 2021, sexta-feira, às 14h Manaus, 15h Brasília.

Onde: Transmissão ao vivo via Youtube.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

UFAM realiza defesa póstuma de aluno indígena morto pela Covid-19 - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV