Organizações sociais exigem apuração de assassinatos de chiquitanos

Revista ihu on-line

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

Caetano Veloso. Arte, política e poética da diversidade

Edição: 549

Leia mais

Mulheres na pandemia. A complexa teia de desigualdades e o desafio de sobreviver ao caos

Edição: 548

Leia mais

Mais Lidos

  • “Os pecados da carne não são os mais graves. Os mais graves são aqueles que têm mais 'angelicalidade': a soberba, o ódio”. Entrevista do Papa Francisco

    LER MAIS
  • Digital, serial, algorítmica, a cultura do século XXI chegou

    LER MAIS
  • Ômicron, natureza e arrogância humana: uma guerra entre patógenos e humanos. Artigo de Alexandre A. Martins

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


09 Setembro 2020

Relatos indicam que quatro indígenas bolivianos foram torturados e executados. Chacina teria sido realizada por agentes do Grupo Especial de Fronteira (Gefron), núcleo da polícia do Mato Grosso.

A reportagem é publicada por Conselho Indigenista Missionário – CIMI, 04-09-2020.

Após denúncia de que indígenas chiquitanos da comunidade de San José de la Frontera, na Bolívia, foram assassinados pela polícia brasileira, o Conselho Indigenista Missionário (Cimi) e outras organizações de defesa dos direitos humanos enviaram um grupo de trabalho para investigar os fatos, in loco. A equipe conversou com familiares das vítimas e autoridades locais.

Foto: CIMI

Os relatos indicam que a execução foi feita no dia 11 de agosto, pelas mãos de agentes do Grupo Especial de Fronteira (Gefron), núcleo da polícia do Mato Grosso que faz a segurança da região. Os chiquitanos Paulo Pedraza Chore, Ezequiel Pedraza Tosube, Yonas Pedraza Tosube e Arcindo Sumbre García estavam caçando quando teriam sido surpreendidos pela ação policial. A análise dos corpos mostrou sinais de tortura.

Jovens assassinados eram pais de crianças e deixaram famílias desemparadas (Foto: Reprodução | De Olho nos Ruralistas)

Com base nas informações colhidas – que apontam atuação criminosa do Gefron – , as organizações sociais encaminharam um ofício às autoridades brasileiras exigindo a apuração dos fatos e justiça para o Povo Chiquitano.

Clique aqui para ler o ofício e entender melhor o caso.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Organizações sociais exigem apuração de assassinatos de chiquitanos - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV