Alemanha: dados negativos para a Igreja Católica

Revista ihu on-line

Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

Edição: 546

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Mais Lidos

  • Um futuro social-ecológico? As alianças verdes-rosas-vermelhas nas eleições francesas

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


27 Junho 2020

A análise dos dados estatísticos da Igreja Católica da Alemanha para o ano de 2019 será postergada para a próxima assembleia plenária de outono da Conferência dos Bispos da Alemanha (DBK). Foi o que disse nessa sexta-feira, 26, o presidente dos bispos alemães, Dom Georg Bätzing, que, à luz dos números publicados, acredita que são necessárias “mudanças corajosas dentro dos nossos quadros”.

A reportagem é do Servizio Informazione Religiosa (SIR), 26-06-2020. A tradução é de Moisés Sbardelotto.

Os dados apresentam um total de 272.771 pessoas que abandonaram a Igreja Católica no ano passado: no total, o número de católicos na Alemanha diminuiu em mais de 400 mil pessoas. O número “oficial” de católicos em 2019 foi de 22.600.371 (23.002.128 em 2018), e o porcentual na população alemã caiu para 27,2% em comparação com os 27,7% de 2018.

Os funerais foram cerca de 10 mil a menos, com uma redução de 5% nos batismos, que caíram para 159.043. Os novos católicos também caíram 5%: 2.330. Foram 5.339 as pessoas que solicitaram a readmissão na Igreja Católica, com uma diminuição de 15% em relação a 2018.

Os casamentos, as comunhões e as crismas também diminuíram, assim como a frequência litúrgica, que atingiu o nível mais baixo de todos os tempos: 9,1% (9,3% em 2018).

Como dado positivo, devem ser considerados os oito novos diáconos permanentes. Mas já são 300 padres a menos do que em 2018.

Na assembleia geral de outono da DBK, será realizado um dia de estudo no qual os bispos darão conselhos sobre os desenvolvimentos e sobre como os resultados confluirão para o “Caminho Sinodal”.

Bätzing ressaltou a linha da Conferência Episcopal: “Após uma notável perda de credibilidade, devemos tentar recuperá-la. Honestidade e transparência, respostas úteis da Igreja às perguntas deste tempo e alguns processos de mudança deverão ajudar a mostrar aquilo que se destaca e está no centro da fé: a oferta de Deus para dar sentido à vida graças à fé”.

 

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Alemanha: dados negativos para a Igreja Católica - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV