Fazer discípulos de Jesus

Revista ihu on-line

Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

Edição: 546

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Mais Lidos

  • Transmidiatizar as narrativas da vida e do Evangelho

    LER MAIS
  • “A pandemia revelou nossa vulnerabilidade”. Entrevista com Gaël Giraud

    LER MAIS
  • Seis dicas espirituais para uma transição ecológica

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


22 Mai 2020

A leitura que a Igreja propõe neste domingo é o Evangelho segundo Mateus 28,16-20 que corresponde ao Domingo da Ascensão, ciclo A do Ano Litúrgico. O teólogo espanhol José Antonio Pagola comenta o texto.

Eis o texto.

Mateus descreve a despedida de Jesus traçando as linhas de força que guiarão para sempre seus discípulos, os traços que deverão marcar sua Igreja para cumprir fielmente sua missão.

O ponto de partida é a Galileia. Aí os convoca Jesus. A ressurreição não os deve levar a esquecer do vivido com Ele na Galileia. Aí o escutaram falar de Deus com parábolas comovedoras. Ali o viram aliviando o sofrimento, oferecendo o perdão de Deus e acolhendo os mais esquecidos. É isto precisamente o que deverão continuar a transmitir.

Entre os discípulos que rodeiam Jesus ressuscitado, há “crentes” e há quem “duvida”. O narrador é realista. Os discípulos “prostram-se”. Sem dúvida, querem acreditar, mas em alguns deles desperta a dúvida e a indecisão. Talvez estejam assustados, não podem captar tudo o que aquilo significa. Mateus conhece a fé frágil das comunidades cristãs. Se não contassem com Jesus, logo se apagariam.

Jesus aproxima-se” e entra em contato com eles. Ele tem a força e o poder que lhes falta. O Ressuscitado recebeu do Pai a autoridade do Filho de Deus com “pleno poder no céu e na terra”. Se se apoiam Nele, não vacilarão.

Jesus indica-lhes com precisão qual deve ser sua missão. Não é propriamente “ensinar doutrina”, não é apenas “anunciar o Ressuscitado”. Sem dúvida, os discípulos de Jesus terão de cuidar de diversos aspectos: “dar testemunho do Ressuscitado”, “proclamar o evangelho”, “implantar comunidades”, mas tudo estará finalmente orientado para um objetivo: “fazer discípulos” de Jesus.

Esta é a nossa missão: fazer “seguidores” de Jesus que conheçam sua mensagem, que sintonizem com seu projeto, que aprendam a viver como Ele e que reproduzam hoje sua presença no mundo. Atividades tão fundamentais como o batismo, o compromisso de aderir a Jesus e o ensino de “tudo o que é ordenado” por Ele são vias para aprender a ser seus discípulos. Jesus promete-lhes sua presença e ajuda constante. Não estarão sós nem desamparados. Nem mesmo que sejam poucos. Nem mesmo que sejam apenas dois ou três.

Assim é a comunidade cristã. A força do Ressuscitado é sustentada com seu Espírito. Tudo está orientado para aprender e ensinar a viver como Jesus e a partir de Jesus. Ele continua vivo nas suas comunidades. Continua conosco e entre nós, curando, perdoando, acolhendo... salvando.

 

 

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Fazer discípulos de Jesus - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV