Oração Inter-religiosa Declamada - Poema "Num meio-dia de fim de Primavera", de Fernando Pessoa - Programa #01

Arte: Hugo em O Braz

30 Abril 2020

Apresentamos o poema "Num meio-dia de fim de Primavera", parte do livro O Guardador de Rebanhos, de Fernando Pessoa. A Oração Inter-religiosa Declamada é uma idealização e realização do professor doutor Faustino Teixeira em parceria com o Instituto Humanitas Unisinos - IHU.  

Assista o vídeo na íntegra.

 

 

 

Num meio-dia de fim de Primavera


(Trecho da Oração Inter-religiosa, poema de Fernando Pesssoa)

Um dia que Deus estava a dormir
E o Espírito Santo andava a voar,
Ele foi à caixa dos milagres e roubou três.
Com o primeiro fez que ninguém soubesse que ele tinha fugido.
Com o segundo criou-se eternamente humano e menino.
Com o terceiro criou um Cristo eternamente na cruz
E deixou-o pregado na cruz que há no céu
E serve de modelo às outras.
Depois fugiu para o Sol
E desceu pelo primeiro raio que apanhou.
Hoje vive na minha aldeia comigo.
É uma criança bonita de riso e natural.
Limpa o nariz ao braço direito,
Chapinha nas poças de água,
Colhe as flores e gosta delas e esquece-as.
Atira pedras aos burros,
Rouba a fruta dos pomares
E foge a chorar e a gritar dos cães.
E, porque sabe que elas não gostam
E que toda a gente acha graça,
Corre atrás das raparigas
Que vão em ranchos pelas estradas
Com as bilhas às cabeças


E levanta-lhes as saias.
A mim ensinou-me tudo.
Ensinou-me a olhar para as coisas.
Aponta-me todas as coisas que há nas flores.
Mostra-me como as pedras são engraçadas
Quando a gente as tem na mão
E olha devagar para elas.

……

Ele mora comigo na minha casa a meio do outeiro.
Ele é a Eterna Criança, o deus que faltava.
Ele é o humano que é natural,
Ele é o divino que sorri e que brinca.
E por isso é que eu sei com toda a certeza
Que ele é o Menino Jesus verdadeiro.


E a criança tão humana que é divina
É esta minha quotidiana vida de poeta,
E é porque ele anda sempre comigo que eu sou poeta sempre.
E que o meu mínimo olhar
Me enche de sensação,
E o mais pequeno som, seja do que for,
Parece falar comigo.

A Criança Nova que habita onde vivo
Dá-me uma mão a mim
E a outra a tudo que existe
E assim vamos os três pelo caminho que houver,
Saltando e cantando e rindo
E gozando o nosso segredo comum
Que é o de saber por toda a parte
Que não há mistério no mundo
E que tudo vale a pena.

 

| Programa #01 |

Poema: "Num meio-dia de fim de Primavera", livro O Guardador de Rebanhos, de Fernando Pessoa
Declamação: Faustino Teixeira
Edição: Ricardo Machado
Imagens: Wikimedia Commons, Hugo em O Braz, YouTube.
Realização: Instituto Humanitas Unisinos - IHU

 

O espaço das Orações Inter-religiosas é marcado por um entrelaçamento entre poesia e mística. Por meio de orações de mestres espirituais de diferentes religiões, mergulha-se no Mistério que é a absoluta transcendência e a absoluta proximidade.

 

Leia mais

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV