Arquidioceses do Brasil oferecem espaços da Igreja como hospitais de campanha

Revista ihu on-line

Caetano Veloso. Arte, política e poética da diversidade

Edição: 549

Leia mais

Mulheres na pandemia. A complexa teia de desigualdades e o desafio de sobreviver ao caos

Edição: 548

Leia mais

Clarice Lispector. Uma literatura encravada na mística

Edição: 547

Leia mais

Mais Lidos

  • “Sínodo é até o limite. Inclui a todos: Os pobres, os mendigos, os jovens toxicodependentes, todos esses que a sociedade descarta, fazem parte do Sínodo”, diz o Papa Francisco

    LER MAIS
  • Por que a extrema direita elegeu Paulo Freire seu inimigo

    LER MAIS
  • Ainda há espaço para a missão do padre? Artigo de Giannino Piana

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


31 Março 2020

Nestes tempos de avanço do impacto do coronavírus na vida de milhões de pessoas, a Igreja no Brasil avança na organização de muitas iniciativas solidárias que buscam fortalecer o pilar da “Caridade”, um dos quatro pilares de suas Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora (2019-2023).

A informação é publicada por CNBB, 31-03-2020.

Segundo o bispo de Brejo (MA), dom José Valdeci Santos Mendes, presidente da Comissão para a Ação Sociotransformadora da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, neste tempo de Quaresma e da Campanha da Fraternidade 2020, cujo tema é “Fraternidade e Vida: dom e compromisso”, as pastorais sociais e toda a Igreja têm o compromisso de cuidar da vida fazendo frente ao coronavírus.

“Somos chamados a ser samaritanos junto ao povo de rua, aos encarcerados, aos migrantes, aos ciganos, ao povo dos circos e a todos que precisam de nossa ajuda”, conclamou. Para o bispo, o momento é o de a Igreja realizar a sua missão: “Essa é a nossa vocação, servir. Façamos todos nós esse mutirão pela vida, como disse Jesus Cristo, em Jo 10,10 – ‘Eu vim para que todos tenham vida e a tenham em abundância‘”, conclamou.

As igrejas particulares (arquidioceses e dioceses) estão aderindo a este chamado. A arquidiocese de Campinas (SP) está organizando um hospital de Campanha, em parceria com a PUC-Campinas e o Hospital Puc. O local, ao ar livre, contará com uma tenda para a triagem de pessoas suspeitas de estarem com os sintomas da covid-19.

Segundo o vigário geral da arquidiocese de Campinas, monsenhor José Eduardo Meschiatti, com esta iniciativa, as paróquias estarão atentas às necessidades juntas com o Hospital Puc Campinas e a Pontifícia Universidade Católica de Campinas. “A ideia é promover formação adequada, Campanhas, capacitação de voluntários e a proposta de construção de um ‘Hospital Campanha’ com a ajuda da iniciativa privada”, disse.

Além desta iniciativa, a arquidiocese de Campinas e a PUC-Campinas disponibilizam à população uma série de vídeos, áudios e textos com orientações voltadas à preservação da saúde física e mental durante o período de quarentena. Acesse aqui. A iniciativa corrobora com a missão da Universidade de compartilhar com a sociedade os conhecimentos produzidos nos campos do ensino e da pesquisa dentro da Instituição.

A arquidiocese de Maceió (AL) firmou uma parceria com a prefeitura e com a Pastoral da Juventude para organizar dois abrigos destinados à população de rua. Um será destinado aos idosos e o outro para crianças, adolescentes, jovens e adultos.

O arcebispo de Belo Horizonte (MG) e presidente da CNBB, dom Walmor Oliveira de Azevedo, ofereceu aos prefeitos da capital mineira e de outros 27 municípios da região metropolitana os templos da Igreja Católica para serem hospitais de campanha e outros pontos de referência e amparo a idosos, enfermos e pessoas pobres. A arquidiocese que batizou a iniciativa de “Templos de Acolhida”.

Além dos templos, a arquidiocese de Belo Horizonte disponibilizou outros espaços para as prefeituras, a exemplo da Catedral Cristo Rei, em construção, mas com significativa parte de sua infraestrutura edificada, e o Centro Olímpico da PUC Minas. No diálogo com prefeitos, dom Walmor e os bispos auxiliares ainda reafirmaram o compromisso da Igreja de promover ações solidárias dedicadas aos mais pobres e ajudar na partilha de informações sobre formas de prevenção da covid-19. Conforme explica dom Walmor, os prefeitos têm recebido com gratidão a oferta de ajuda da Igreja.

Em carta dirigida aos fiéis, o presidente da CNBB ressaltou a importância da solidariedade, especialmente neste momento em que o mundo enfrenta uma pandemia: “Exemplares são os empreendedores que dedicam parte de seus recursos para investir em equipamentos hospitalares, tão importantes para acolher quem mais sofre com o coronavírus. Também toca o coração a atitude dos que mesmo tendo pouco, procuram ajudar. São jovens que fazem compras para os idosos, profissionais que oferecem graciosamente serviços a partir das redes digitais. A força da solidariedade vai vencer a pandemia.” Sobre a campanha Templos de Acolhida, dom Walmor ressaltou que “a Igreja está aberta para acolher os doentes, unindo esforços ao Sistema Único de Saúde (SUS).”

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Arquidioceses do Brasil oferecem espaços da Igreja como hospitais de campanha - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV