Tratamentos comuns usados no gado podem causar danos ambientais, revela novo estudo

Revista ihu on-line

Caetano Veloso. Arte, política e poética da diversidade

Edição: 549

Leia mais

Mulheres na pandemia. A complexa teia de desigualdades e o desafio de sobreviver ao caos

Edição: 548

Leia mais

Clarice Lispector. Uma literatura encravada na mística

Edição: 547

Leia mais

Mais Lidos

  • Müller também se recusa, na 'TV do diabo', a participar do Sínodo

    LER MAIS
  • Aquele que veio para desconstruir e devastar - Frases dia

    LER MAIS
  • Desmatamento na Amazônia já chega a quase 9 mil km² em 2021, mostra Imazon

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


20 Março 2020

"Especialistas enfatizaram a necessidade urgente de encontrar alternativas para produtos anti-ectoparasitários amplamente utilizados em bovinos, seguindo os resultados de um estudo recém-publicado em Environmental Toxicology and Chemistry", em artigo traduzido e editado por Henrique Cortez, publicado por EcoDebate, 19-03-2020.

Eis o artigo.

Pesquisadores da Universidade de Sussex analisaram um conjunto de evidências publicadas sobre o impacto ambiental dos anti-helmínticos – produtos usados contra vermes e agentes antiparasitários, amplamente aplicados em todo o mundo. Eles descobriram que, em todas as classes de medicamentos, os produtos estavam tendo um impacto devastador nos besouros de estrume – espécies que são presas vitais para uma variedade de espécies de morcegos e aves.

O estudo realizado por Domhnall Finch e pela professora Fiona Mathews também descobriu que alguns dos produtos atraíam ativamente besouros adultos, antes de prejudicar o desenvolvimento de suas larvas.

Besouros de estrume são comumente predados pelo morcego serotino, apontado como Vulnerable to Extinction na nova Lista Vermelha Britânica; o maior morcego-ferradura, protegido pelo direito europeu por causa de seu perigoso estado de conservação em toda a Europa; e o Nightjar e o Chough, ambos protegidos pela Lei da Vida Selvagem e do Campo de 1981. O Nightjar recebeu um status ambarino de conservação no Reino Unido .

O estudo, publicado na revista Environmental Toxicology and Chemistry, destacou o impacto particularmente negativo sobre as larvas de escaravelhos de tratamentos de despejo – a forma mais comum de aplicação. Também revelou que um dos produtos mais utilizados, o agente antiparasitário Ivermectina, é extremamente tóxico. Esses tratamentos estão disponíveis para compra na maioria dos países da UE sem o envolvimento de um veterinário.

Mas os autores enfatizam que são necessárias mais pesquisas sobre outros tipos de tratamento e medicamentos mais recentes, a fim de determinar os efeitos exatos de cada um.

Os resultados são particularmente oportunos, pois ocorrem apenas alguns meses depois que o governo anunciou que não estaria financiando extensões para acordos de administração orgânica de nível superior na Inglaterra. Isso significa que as fazendas que atualmente evitam o uso de inseticidas serão confrontadas com uma escolha difícil no futuro.

Os próprios escaravelhos fornecem importantes serviços ecossistêmicos para os agricultores. Ao garantir que o esterco seja eliminado do pasto rapidamente, eles ajudam a controlar as moscas das pragas e também permitem o rápido crescimento da grama através da ciclagem de nutrientes, aeração do solo e remoção do esterco. A presença de besouros de esterco também demonstrou reduzir a prevalência de infecções por nematóides em bovinos em 55 a 89% (Fincher 1975) e moscas de pragas em 58% (Benyon et al. 2015). Somente no Reino Unido, estima-se que esses serviços excedam £ 350 milhões por ano.

Leia mais

 

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Tratamentos comuns usados no gado podem causar danos ambientais, revela novo estudo - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV