Uma virada realmente revolucionária. Pela primeira vez, uma mulher na alta direção da Secretaria de Estado. Com autoridade até sobre os bispos

Revista ihu on-line

Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

Edição: 546

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Mais Lidos

  • Bolívia. O MAS e o triunfo avassalador

    LER MAIS
  • "Governo tenta intencionalmente destruir povos indígenas". Entrevista com Carlos Frederico Marés de Souza Filho

    LER MAIS
  • O PT e o voto evangélico

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


16 Janeiro 2020

Em comentário à importante homilia do Papa Francisco, em 1º de janeiro, dedicada substancialmente às mulheres na Igreja e no mundo, escrevemos: "Essa homilia tem muita autoridade e, portanto, todos, dentro e fora da Igreja, deveriam levar a sério o que o Pontífice disse e que, em muitos lugares, nessas horas, almeja-se seja o preâmbulo de maiores desenvolvimentos tanto no âmbito do magistério, como no campo das decisões necessárias, que não podem mais ser adiadas. Nada do que o Santo Padre disse nessa homilia é para transmitir algum agradinho apenas cosmético, ou para fazer as pessoas acreditarem nisso... e muito menos para arrancar aplausos ou fáceis consensos. Francisco disse coisas muito importantes, e a comunidade eclesial deve estar ciente de que são afirmações do magistério que deverão ter consequências práticas.

O comentário é de Luis Badilla, publicado por Il Sismografo, 15-01-2020. A tradução é de Luisa Rabolini.

"Portanto, em um contexto analítico desse tipo poderia ser lida a nomeação do Papa Francisco divulgada hoje no Boletim da Assessoria de Imprensa da Santa Sé, que informa o seguinte:

"O Santo Padre nomeou Subsecretário para o Setor Multilateral da Seção para as Relações com os Estados da Secretaria de Estado, a Dra. Francesca Di Giovanni, Oficial da mesma Seção para as Relações com os Estados".

Francesca Di Giovanni se torna a terceira mulher Subsecretária nomeada pelo Papa Francisco e mais uma na lista (não muito longa) que foi aberta com a primeira mulher designada a uma tão alta responsabilidade curial por João Paulo II.

No caso de Francesca Di Giovanni, no entanto, há um aspecto particular muito revolucionário: nas cúpulas da Secretaria de Estado, se necessário, ela terá autoridade sobre os bispos (em particular os núncios apostólicos) pois o ente liderado pelo Secretário de Estado, Card. P. Parolin e, no caso específico D. P.R. Gallagher, Secretário para as Relações com os Estados, é uma estrutura do governo central da Igreja Universal a serviço direto e imediato do Papa.

A Secretaria de Estado existe para realizar a vontade do Pontífice e nessa estrutura, até agora integrada nos mais altos escalões apenas por sacerdotes, a partir de hoje há um leigo, ou melhor, uma leiga, uma mulher. Isso nunca havia acontecido. Uma virada realmente revolucionária na história bimilenar da Igreja.

 

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Uma virada realmente revolucionária. Pela primeira vez, uma mulher na alta direção da Secretaria de Estado. Com autoridade até sobre os bispos - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV