Advento em música: sete antífonas a serem totalmente redescobertas

Revista ihu on-line

Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

Edição: 546

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Mais Lidos

  • Somos todos “luderanos”. Artigo de Edelberto Behs

    LER MAIS
  • Papa Francisco: “Sou a favor das uniões civis, as pessoas homossexuais têm direito a uma família”

    LER MAIS
  • Não é novidade: Papa Francisco defende as uniões civis há anos

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


18 Dezembro 2019

A partir dessa terça-feira, 17 de dezembro, até a antevéspera do Natal, no Magnificat das Vésperas do rito romano, cantam-se sete antífonas, uma por dia, que começam todas com uma invocação a Jesus, embora nunca chamado pelo nome.

A nota é de Sandro Magister, publicada por Settimo Cielo, 17-12-2019. A tradução é de Moisés Sbardelotto.

Esse setenário é muito antigo e remonta aos tempos do Papa Gregório Magno, por volta do ano 600.

No início de cada antífona, em ordem, Jesus é invocado como Sabedoria, Senhor (Adonai), Raiz, Chave, Sol, Rei, Emanuel. No original em latim: Sapientia, Adonai, Radix, Clavis, Oriens, Rex, Emmanuel.

Lidas a partir da última, as iniciais latinas dessas palavras formam um acróstico: “ERO CRAS”, ou seja: “Estarei [aqui] amanhã”. Elas são o anúncio do Senhor que vem. A última antífona, que completa o acróstico, é cantada no dia 23 de dezembro. E, no dia seguinte, com as primeiras Vésperas, começa a festividade do Natal.

As antífonas se inspiram em textos do Antigo Testamento que anunciam o Messias. Mas com uma particularidade: as três últimas incluem algumas expressões que são explicadas unicamente à luz do Novo Testamento.

Antífonas das Vésperas do setenário em preparação ao Natal (Foto: Come Se Non)

A antífona O Oriens”, de 21 de dezembro, inclui uma clara referência ao cântico de Zacarias no primeiro capítulo do Evangelho de Lucas, o Benedictus: “O sol que nasce do alto nos visitará para iluminar os que vivem nas trevas e na sombra da morte”.

A antífona O Rex”, de 22 de dezembro, inclui uma passagem do hino a Jesus do segundo capítulo da carta de Paulo aos Efésios: “De dois povos [isto é, judeus e pagãos], ele fez um só”.

A antífona O Emmanuel, de 23 de dezembro, conclui-se, por fim, com a invocação “Dominus Deus noster”: uma invocação exclusivamente cristã, pois somente os seguidores de Jesus reconhecem no Emanuel o seu Senhor Deus.

Eis, portanto, aqui, em seguida, os textos na íntegra das sete antífonas, em latim e em português [conforme a tradução brasileira da Liturgia das Horas aprovada pela CNBB], com as principais referências entre o Antigo e o Novo Testamentos entre parênteses:

* * *

I – 17 de dezembro

O SAPIENTIA, quae ex ore Altissimi prodiisti,
attingens a fine usque ad finem fortiter suaviterque disponens omnia:
veni ad docendum nos viam prudentiae.

Ó Sabedoria, que saístes da boca do Altíssimo (Eclesiástico 24,5)
e atingis até os confins de todo o universo
e com força e suavidade governais o mundo inteiro (Sabedoria 8,1):
oh, vinde ensinar-nos o caminho da prudência (Provérbios 9,6)!

 

II – 18 de dezembro

O ADONAI, dux domus Israel,
qui Moysi in igne flammae rubi apparuisti, et in Sina legem dedisti:
veni ad redimendum nos in brachio extenso.

Ó Adonai (“Senhor”, em Êxodo 6,2, Vulgata)
guia da casa de Israel,
que aparecestes a Moisés na sarça ardente (Êxodo 3,2)
e lhe destes vossa lei sobre o Sinai (Êxodo 20):
vinde salvar-nos com o braço poderoso (Êxodo 15,12-13).

<

 

III – 19 de dezembro

O RADIX Iesse, qui stas in signum populorum,
super quem continebunt reges os suum, quem gentes deprecabuntur:
veni ad liberandum nos, iam noli tardare.

Ó Raiz de Jessé, ó estandarte.
levantado em sinal para as nações (Isaías 11,10)!
Ante vós se calarão os reis da terra (Isaías 52,15),
e as nações implorarão misericórdia:
Vinde salvar-nos! Libertai-nos sem demora (Habacuc 2,3)!

 

IV – 20 de dezembro

O CLAVIS David et sceptrum domus Israel,
qui aperis, et nemo claudit; claudis, et nemo aperit:
veni et educ vinctum de domo carceris, sedentem in tenebris et umbra mortis.

Ó Chave de Davi (Isaías 22,22), Cetro da casa de Israel (Gênesis 49,10),
que abris e ninguém fecha, que fechais e ninguém abre:
vinde logo e libertai o homem prisioneiro,
que, nas trevas e na sombra da morte, está sentado (Salmo 107,10.14).

 

V – 21 de dezembro

O ORIENS, splendor lucis aeternae et sol iustitiae:
veni et illumina sedentem in tenebris et umbra mortis.

Ó Sol nascente justiceiro (Zacarias 3,8; Jeremias 23,5), resplendor da Luz eterna (Sabedoria 7,26; Malaquias 3,20):
Oh, vinde e iluminai os que jazem entre as trevas
e, na sombra do pecado e da morte, estão sentados (Isaías 9,1; Lucas 1,79).

 

VII – 23 de dezembro

O EMMANUEL, rex et legifer noster,
expectatio gentium et salvator earum:
veni ad salvandum nos, Dominus Deus noster.

Ó Emanuel: Deus-conosco (Isaías 7,14), nosso Rei Legislador (Isaías 33,22),
Esperança das nações e dos povos Salvador (Gênesis 49,10; João 4,42):
Vinde enfim para salvar-nos, ó Senhor e nosso Deus (Isaías 37,20).

 

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Advento em música: sete antífonas a serem totalmente redescobertas - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV