Fernando Meirelles: Fiz o filme ‘Dois Papas’ porque sou fã do Papa Francisco

Revista ihu on-line

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Vilém Flusser. A possibilidade de novos humanismos

Edição: 542

Leia mais

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Planos de saúde e o SUS. Uma relação predatória

Edição: 541

Leia mais

Vilém Flusser. A possibilidade de novos humanismos

Edição: 542

Leia mais

Planos de saúde e o SUS. Uma relação predatória

Edição: 541

Leia mais

Mais Lidos

  • Vaticano, roubadas da igreja estátuas indígenas consideradas “pagãs” e jogadas no Tibre

    LER MAIS
  • A peleja religiosa. Artigo de José de Souza Martins

    LER MAIS
  • Começa a hora da decisão para os bispos da Amazônia na semana final do Sínodo. Artigo de Thomas Reese

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

09 Outubro 2019

Novo filme do diretor de "Cidade de Deus" estreia na Netflix no dia 20 de dezembro.

O diretor Fernando Meirelles é fã do Papa Francisco, mas diz que seu novo filme, que tenta entrar na cabeça do pontífice argentino, também mostra algumas de suas fraquezas.

A reportagem é publicada por HuffPost, 08-10-2019.

Dois Papas é baseado na história da dramática renúncia do papa Bento XVI e na ascensão do papa Francisco, e imagina algumas das conversas que os dois poderiam ter tido.

“Fiz o filme porque sou um grande fã do papa Francisco. Acho que ele é uma voz muito importante no mundo hoje”, disse Meirelles, durante o Festival de Cinema de Londres, nesta segunda-feira (7).

“Ele vê o planeta como uma coisa e está tentando construir pontes enquanto todos querem construir muros. Então, decidi fazer o filme para conhecê-lo melhor e até apoiar o que ele diz”, acrescentou.

“É muito honesto. Mostramos os erros que ele cometeu há cerca de 30 anos na Argentina. Mas, no final, ele aparece como alguém que devemos apoiar”, disse o cineasta brasileiro.

O filme, estrelado por Anthony Hopkins como o tradicional papa Bento XVI e Jonathan Pryce como seu sucessor mais liberal, é ambientado principalmente em uma réplica do set de filmagem da Capela Sistina, decorada com ornamentos no Vaticano.

“Foi um personagem tão bom de interpretar, mostrando suas falhas e fraquezas, bem como suas forças muito positivas e o que ele pode fazer como um tipo de líder que precisamos desesperadamente na vida política nos dias de hoje; alguém que possa nos mostrar o caminho e nos mostrar como viver e voltar aos antigos valores cristãos “, disse Pryce.

“Se ele (Francisco) ver, espero que ele se divirta. Espero que ele não esteja com raiva. E espero que ele entenda que o que tentamos retratar é a essência do homem e o que ele está tentando fazer”, completou.

Dois Papas estreia dia 20 de dezembro na Netflix.

Assista ao teaser abaixo:

 

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Fernando Meirelles: Fiz o filme ‘Dois Papas’ porque sou fã do Papa Francisco - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV