Deus é alegria e coragem. Guimarães Rosa na oração inter-religiosa desta semana

Revista ihu on-line

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

Caetano Veloso. Arte, política e poética da diversidade

Edição: 549

Leia mais

Mulheres na pandemia. A complexa teia de desigualdades e o desafio de sobreviver ao caos

Edição: 548

Leia mais

Mais Lidos

  • “Francisco quase desculpa a vida dupla, mas ainda não aceita padres casados”

    LER MAIS
  • Carta a um jovem padre. Artigo de Domenico Marrone

    LER MAIS
  • A espiritualidade cristã no mundo secular

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


28 Junho 2019

Neste espaço se entrelaçam poesia e mística. Por meio de orações de mestres espirituais de diferentes religiões, mergulhamos no Mistério que é a absoluta transcendência e a absoluta proximidade. Este serviço é uma iniciativa feita em parceria com o Prof. Dr. Faustino Teixeira, teólogo, professor e pesquisador do PPG em Ciências da Religião da Universidade Federal de Juiz de Fora - MG.

 

Deus é alegria e coragem

Só se pode viver perto de outro,
e conhecer outra pessoa sem perigo de ódio,
se a gente tem amor.
Qualquer amor já é um pouquinho de saúde,
um descanso na loucura.
Deus é que me sabe (...).
Ah, para o prazer e para ser feliz,
é que é preciso a gente saber tudo,
formar alma, na consciência;
para penar, não se carece:
bicho tem dor,
e sofre sem saber mais porque (...).
Todo caminho da gente é resvaloso.
Mas, também, cair não prejudica demais –
a gente levanta,
a gente sobe,
a gente volta!
Deus resvala?
Mire e veja (...).
Mas eu hoje em dia acho
que Deus é alegria e coragem –
que Ele é bondade adiante.

Fonte: Guimarães Rosa. Grande sertão: veredas. 22ª ed. São Paulo: Companhia das Letras, p. 226-227.

 

 

 

colocar aqui a legenda

João Guimarães Rosa (1908 - 1967): foi um escritor mineiro que valorizou o sertão brasileiro em todos seus escritos. Visto como um dos mais importantes autores do país, sua obra ficou marcada pela constante presença das falas populares e regionais. Em 1956 publicou sua mais famosa obra, Grande sertão: veredas, uma narrativa que tem uma notada linguagem cabocla e sertaneja, na qual discute o coronelismo e enreda questões relacionadas à metafísica e à teologia. Além desta, é autor de Sagarana, contos  (1946), Corpo de Baile, novela (1956), Tutameia, contos (1967) e Magma, contos, (obra póstuma de 1997), entre outras. 

 

 

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Deus é alegria e coragem. Guimarães Rosa na oração inter-religiosa desta semana - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV