Na sede neofascista de Roma de CasaPound há eletricidade, mas não se paga: "Dívida de 330 mil euros"

Revista ihu on-line

Juventudes. Protagonismos, transformações e futuro

Edição: 536

Leia mais

No Brasil das reformas, retrocessos no mundo do trabalho

Edição: 535

Leia mais

Etty Hillesum - A resistência alegre contra o mal

Edição: 534

Leia mais

Mais Lidos

  • A maior ameaça para a humanidade não é a mudança climática, mas a Inteligência Artificial, afirma o filósofo de Oxford apoiado por Bill Gates

    LER MAIS
  • Dormir na rua e pedalar 12 horas por dia: a rotina dos entregadores de aplicativos

    LER MAIS
  • A lição da economista do Papa entre desenvolvimento, responsabilidade e ecologia

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

15 Maio 2019

Para religar a luz em Spin Time, foi preciso a intervenção do esmoleiro do Papa, padre Konrad Krajewski.

 A reportagem é publicada por La Repubblica, 13-05-2019. A tradução é de Luisa Rabolini.

Com um passado como eletricista, ele removeu os lacres dos medidores e religou a eletricidade para os 450 moradores da Via Santa Croce in Gerusalemme. A menos de um quilômetro de distância, está a CasaPound. Na sede dos fascistas do terceiro milênio, na via Napoleone III, as contas não são pagas. No entanto, os eletrodomésticos continuam a funcionar como se tudo estivesse bem: apesar de um ato de penhora assinado pelo tribunal civil, as “tartarugas” (símbolo do partido, NT) continuam ligadas à Acea. Um golpe de 330 mil euros para a companhia da capital, que no passado já tentou resolver a situação com um corte. Nada a fazer, porque o partido da ultradireita ainda continua lá.

Após 15 anos de ocupação, o espectro do despejo ainda está longe. O prédio no'Esquilino, de propriedade do Estado, no passado confiada ao Ministério da Educação, não é nem mesmo uma prioridade. Não está entre as 20 urgências, as 20 propriedades que a prefeitura quer evacuar o mais rápido possível. Assim, no prédio atrás da estação Termini, a vida continua a fluir tranquilamente, assim como a corrente elétrica. A única esperança para a Acea é entrar nos fluxos financeiros da CasaPound, para colocar as mãos nos créditos que a formação liderada por Gianluca Iannone já tem ou poderá ter em relação a outros entes públicos e empresas. Caso contrário, quem defende que o retorno do fascismo seja a única cura para os males do país, poderá continuar a fazê-lo sem pagar a conta.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Na sede neofascista de Roma de CasaPound há eletricidade, mas não se paga: "Dívida de 330 mil euros" - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV