Austeridade fiscal e o impacto na cobertura da atenção primária à saúde

Revista ihu on-line

Planos de saúde e o SUS. Uma relação predatória

Edição: 541

Leia mais

Hans Jonas. 40 anos de O princípio responsabilidade

Edição: 540

Leia mais

Do ethos ao business em tempos de “Future-se”

Edição: 539

Leia mais

Mais Lidos

  • O psicanalista analisa o "vazio de sentido". "A técnica domina, a política não decide, os jovens consomem e ponto". Entrevista com Umberto Galimberti

    LER MAIS
  • ''Estamos vendo o início da era da barbárie climática.'' Entrevista com Naomi Klein

    LER MAIS
  • Necropolítica Bacurau

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

29 Abril 2019

Pela primeira vez, uma pesquisa projetou o impacto das medidas de austeridade fiscal na cobertura da atenção primária à saúde em um país de renda média. E esse país é o Brasil. De acordo com os dados projetados, a redução da cobertura da Estratégia Saúde da Família, com a hipotética extinção do Programa Mais Médicos, pode elevar as taxas de mortalidade prematura (antes dos 70 anos) por causas sensíveis à atenção primária em 8,6% entre 2017 e 2030. Isso equivale a um aumento de mortes de quase 50 mil pessoas. Foram analisados dados de 5.507 municípios.

A informação é publicada por Outra Saúde, 29-04-2019.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Austeridade fiscal e o impacto na cobertura da atenção primária à saúde - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV