Jovens em busca de um futuro para a Terra

Revista ihu on-line

Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

Edição: 546

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Mais Lidos

  • Arcebispo de Ribeirão Preto visita no hospital a Dom Pedro Casaldáliga, “um ícone no Brasil”

    LER MAIS
  • Rio Grande do Norte. Seridó ameaçado

    LER MAIS
  • Francisco nomeia seis mulheres para grupo que supervisiona as finanças vaticanas

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


16 Março 2019

Como adulto, ou assim autointitulado, hoje não vou levantar minha sobrancelha ao ver os jovens lotando as praças do planeta. Até porque, até ontem, eu a levantava pelas razões opostas: quando os via passeando pelos teclados dos computadores, ao invés de descerem para a rua para se olharem nos olhos.

O comentário é de Massimo Gramellini, publicado em Corriere della Sera, 15-03-2019. A tradução é de Moisés Sbardelotto.

Desta vez, os jovens descem às ruas, e como. Eles fazem isso por algo que os envolve e os emociona mais do que a maioria dos adultos: a possibilidade de que a Terra tenha um futuro.

Eu imagino outras sobrancelhas levantadas. São as daqueles que acreditam que os furacões no Mediterrâneo não dependem do ser humano e daqueles que pensam que não basta comer menos carne ou dirigir menos veículos a diesel para reduzir as emissões de CO2.

Mas um jovem é jovem enquanto acredita que é possível fazer alguma coisa. Caso contrário, uma garotinha com as tranças da Píppi Meialonga que saem do seu boné não teria ido à frente do Parlamento sueco para começar solitariamente a campanha de conscientização sobre o ambiente que contagiou uma geração inteira.

A energia de um sonho transcende o próprio sonho. É vital por si só e toca os corações de muitos, às vezes até dos cínicos e dos desiludidos. Incluindo aqueles que, na época da sua adolescência, queriam mudar o mundo sozinhos.

Greta e seus colegas gostariam de salvá-lo conosco. Sozinhos, eles não conseguem: pela primeira vez na história, os jovens do Ocidente representam uma minoria. Hoje, eles não marcham para se emancipar, mas para nos envolver.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Jovens em busca de um futuro para a Terra - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV