Estados Unidos. Polêmica: o Menino encarcerado e os Magos, atrás do muro fronteiriço

Revista ihu on-line

A fagocitose do capital e as possibilidades de uma economia que faz viver e não mata

Edição: 537

Leia mais

Juventudes. Protagonismos, transformações e futuro

Edição: 536

Leia mais

No Brasil das reformas, retrocessos no mundo do trabalho

Edição: 535

Leia mais

Mais Lidos

  • Cardeal Müller: documento vaticano sobre a Amazônia contém heresia e estupidez. “Não tem nada a ver com o cristianismo”

    LER MAIS
  • A história dos 13 agricultores presos por Moro e depois absolvidos

    LER MAIS
  • Vozes que nos desafiam. Maria Madalena, a primeira testemunha da Ressurreição

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

13 Dezembro 2018

Um templo católico de Santa Susana, no povoado de Dedham, em Massachusetts (Estados Unidos), está criando uma ampla polêmica por mostrar um presépio natalino, em sua frente, com o Menino Jesus encarcerado e os três reis magos atrás de uma cerca que se assemelha ao muro fronteiriço, cuja mensagem é criticar a política migratória do presidente Trump contra os centro-americanos da caravana, que buscam asilo nos Estados Unidos.

A reportagem é publicada por Religión Digital,11-12-2018. A tradução é do Cepat.

Fiéis católicos, ativistas e políticos estão em debate a favor e contra o incomum símbolo natalino. Para a paróquia, o presépio não convencional serve como estímulo à luta dos imigrantes.

 (Fonte: Religión Digital)

“Buscamos pegar uma foto do mundo tal como é e de juntá-la a uma mensagem de Natal”, disse o sacerdote Stephen Josoma. Explicou que a mensagem deste ano questiona a paz na terra, já que Jesus representa as crianças migrantes retidas na fronteira sul, separadas de seus pais.

Os reis magos são a caravana dos migrantes atrás do muro fronteiriço. Eles acreditam que significa muito a mensagem de Jesus. “Jesus falava de cuidar um do outro. Esta não é a maneira de se cuidar mutuamente”, disse Josoma.

“Não estamos buscando escandalizar ninguém”, disse o fiel Pat Ferrone, membro do comitê de Pax Christi, que teve a ideia da exibição. “Estamos buscando refletir uma realidade que é preciso olhar”.

“Aqui é onde se vem para rezar, não para receber pregação sobre o que se deve pensar na política”, disse Helen Watson, que foi à igreja para ver a exibição.

Josoma insiste em que o cenário não é uma escavação nas políticas de administração de Trump. Em vez de ativismo político, chama-o de ativismo evangélico. “Falamos de Mateus 25 alimentando os famintos e acolhendo ao estranho”.

O fiel Phil Mandeville disse que Jesus não era alheio à política. “Cristo foi político, foi pregado em uma cruz por fazer declarações políticas e por sua liderança e essa é a razão pela qual morreu”, disse Mandeville.

O presépio é destinado a ser um símbolo de esperança, e na igreja Santa Susana a esperança é que tenha começado uma conversa.

A ideia do presépio surgiu em uma reunião do comitê de Pax Christi da congregação, um grupo que se reúne mensalmente e busca educar a comunidade sobre assuntos relacionados à paz e a justiça, segundo a página web da igreja.

O nascimento também mostra o menino Jesus fechado em uma cela, com Maria e José o olhando. À direita deles, os três reis magos são visíveis atrás de uma rede que se estende do chão ao teto da quadra, simulando manter distantes os estrangeiros, disse Josoma.

Um cartaz com uma flecha contém a palavra “expulsão”, escrita em sinais. Um segundo, sobre o estábulo, expõe uma pergunta aos transeuntes: “Paz na terra?”.

“Isto se parece com o que é a paz na terra?”, questionou o sacerdote, fazendo referência aos eventos recentes em que soldados do Exército, destacados na fronteira com o México, lançaram gases lacrimogêneos para conter centenas de migrantes, incluindo crianças, que tentavam cruzar a fronteira.

“É difícil dizer que somos um povo de paz, quando estamos enviando soldados com gás lacrimogêneo para impedir as pessoas”, disse.

Josoma disse em uma mensagem que não considera que o presépio seja um protesto contra o presidente Trump e as políticas migratórias de seu Governo, mas é mais um estímulo às pessoas de boa vontade. Disse que até o momento a exibição obteve uma resposta mista. “Algumas pessoas olham e não conseguem entender o motivo pelo qual o menino está na cela”.

Este é o segundo ano que os fiéis da congregação utilizam o presépio para estimular um tema de reflexão sobre os acontecimentos atuais.

No ano passado, o presépio tinha 16 escritos na parede posterior da estrutura, que leva o nome de um lugar onde havia ocorrido um tiroteio em massa e o número de pessoas que morreram.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Estados Unidos. Polêmica: o Menino encarcerado e os Magos, atrás do muro fronteiriço - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV