Líderes sociais latino-americanos denunciam ao Papa a “crescente judicialização seletiva da política” na região

Revista ihu on-line

Planos de saúde e o SUS. Uma relação predatória

Edição: 541

Leia mais

Hans Jonas. 40 anos de O princípio responsabilidade

Edição: 540

Leia mais

Do ethos ao business em tempos de “Future-se”

Edição: 539

Leia mais

Planos de saúde e o SUS. Uma relação predatória

Edição: 541

Leia mais

Hans Jonas. 40 anos de O princípio responsabilidade

Edição: 540

Leia mais

Do ethos ao business em tempos de “Future-se”

Edição: 539

Leia mais

Mais Lidos

  • Por que o Papa Francisco não tem medo de um cisma

    LER MAIS
  • Os 12% do presidente – em que lugar da sociedade habita o bolsonarista convicto?

    LER MAIS
  • Comunhão na Igreja dos EUA ''já está fraturada''. Entrevista com Massimo Faggioli

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

12 Dezembro 2018

Um grupo de líderes sociais apresentaram ao Papa, nesta terça-feira, um relatório sobre as denominadas “guerras jurídicas” (lawfare) na América Latina e alertaram de sua ameaça às democracias da região.

A reportagem é de Hernán Reyes, publicada por Religión Digital, 11-12-2018. A tradução é do Cepat.

A advogada brasileira Carol Proner, seu par argentino Roberto Carlés, a militante social italiana Grazia Tuzi e o escritor e músico brasileiro Chico Buarque se reuniram com Francisco, nesta terça-feira, por 45 minutos, em sua residência, Casa Santa Marta, segundo relataram para Religión Digital após o encontro.

Durante a reunião, entregaram ao pontífice um detalhado relatório com denúncias sobre as “guerras jurídicas” (lawfare) na região.

A reunião se deu contextualizada pelo que os líderes sociais qualificaram como um cenário de “crescente judicialização seletiva da política” na região, por meio das denominadas “guerras jurídicas” (lawfare).

“Não é exagerado reconhecer que o lawfare se torna um dos maiores perigos para a democracia do mundo e não apenas para a América Latina”, lamentaram.

Proner, Carlés, Tuzi e Buarque denunciaram o que consideram um contexto de crescente criminalização dos movimentos sociais e das lutas pelos direitos humanos, por meio de técnicas renovadas.

Antes de ver o Papa, também se reuniram com o vice-presidente da Pontifícia Comissão para América Latina, Guzmán Carriquiry, e com o chanceler da Academia Pontifícia de Ciências, Marcelo Sánchez Sorondo, a quem também entregaram cópias do trabalho de pesquisa sobre o lawfare.

Alguns dos exemplos que a imprensa especializada localiza dentro do lawfare são os processos contra os ex-presidentes do Brasil, Lula da Silva, do Equador, Rafael Correa, e da Argentina, Cristina Fernández.

“O chamado lawfare como técnica de guerra jurídica foi precisamente descrito pelo general norte-americano Charles Dunlap como um método de guerra não convencional, que utiliza a lei como um meio para alcançar um objetivo militar”, relataram.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Líderes sociais latino-americanos denunciam ao Papa a “crescente judicialização seletiva da política” na região - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV