Raimon Panikkar na oração inter-religiosa desta semana

Revista ihu on-line

Missões jesuíticas. Mundos que se revelam e se transformam

Edição: 530

Leia mais

Nietzsche. Da moral de rebanho à reconstrução genealógica do pensar

Edição: 529

Leia mais

China, nova potência mundial – Contradições e lógicas que vêm transformando o país

Edição: 528

Leia mais

Missões jesuíticas. Mundos que se revelam e se transformam

Edição: 530

Leia mais

Nietzsche. Da moral de rebanho à reconstrução genealógica do pensar

Edição: 529

Leia mais

China, nova potência mundial – Contradições e lógicas que vêm transformando o país

Edição: 528

Leia mais

Mais Lidos

  • De Martini a Bergoglio. Rumo a um Concílio Vaticano III

    LER MAIS
  • Abriu-se a porteira da absoluta ingovernabilidade no Brasil. Entrevista com Paulo Arantes

    LER MAIS
  • Bispos e padres boicotam a encíclica Laudato si’

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

09 Novembro 2018

Neste espaço se entrelaçam poesia e mística. Por meio de orações de mestres espirituais de diferentes religiões, mergulhamos no Mistério que é a absoluta transcendência e a absoluta proximidade. Este serviço é uma iniciativa feita em parceria com o Prof. Dr. Faustino Teixeira, teólogo, professor e pesquisador do PPG em Ciências da Religião da Universidade Federal de Juiz de Fora - MG.

O toque no infinito

Posso ainda recitar uma oração.
Uma oração voltada particularmente aos meus semelhantes.
É um lamento de compaixão,
Um grito de esperança:
Que haja paz e harmonia
Entre aqueles que rezam.
Não é talvez a oração a revelação da nossa precariedade?
Da nossa contingência?
O nosso toque no infinito, ainda que na singularidade de um ponto?
Estou no hinduísmo, ou na cristandade?
Ou na tradição budista?
Por que estas etiquetas no âmbito da oração?
Sim, posso orar em muitas línguas.
Nenhuma delas diz a mesma coisa,
Porque a fé não tem objeto.
Mas todas dizem, cantam, sofrem, alegram-se
Todas estas orações são minhas,
E das minhas irmãs e de meus irmãos.
Talvez possa simplesmente orar com suas orações.
E por isso sou imensamente agradecido.

(Fonte: Raimon Panikkar. Mistica pienezza di vita. Mistica e spiritualità, tomo 1. Milano: Jaca Book, 2008, p. 351-352)

 

Panikkar | Foto: Milena Carrara - Wikimedia Commons

Raimon Panikkar (1918 - 2010): Sacerdote católico, doutor em teologia e em filosofia, que tornou-se um dos grandes promotores do diálogo inter-religioso. Como professor atuou em Harvard, na Universidade da Califórnia, na Universidade de Madri e em Roma. O hinduísmo e o budismo influenciaram as suas propostas para o diálogo entre as religiões do mundo; também disseminou o cristianismo e foi um dos primeiros a aproximar os cristãos de outras religiões. Deixou uma extensa obra, com cerca de 40 livros e 900 artigos publicados, que estuda a fundo o diálogo inter-religioso e a teologia pluralista.  

 

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Raimon Panikkar na oração inter-religiosa desta semana - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV