Nicarágua. Jesuítas da América Central apoiam o trabalho de bispo perseguido por Ortega

Revista ihu on-line

Missões jesuíticas. Mundos que se revelam e se transformam

Edição: 530

Leia mais

Nietzsche. Da moral de rebanho à reconstrução genealógica do pensar

Edição: 529

Leia mais

China, nova potência mundial – Contradições e lógicas que vêm transformando o país

Edição: 528

Leia mais

Mais Lidos

  • Calmaria antes da tempestade: antecipando o plano radical de um papa reformista para reduzir a Cúria Romana

    LER MAIS
  • Lula solto poderia tirar militares do controle, diz comandante do Exército: “Estávamos no limite”

    LER MAIS
  • Deus nos livre do deus do presidente

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

08 Novembro 2018

A Província Centro-Americana da Companhia de Jesus emitiu, nesta terça-feira, 6 de novembro, um contundente e claro apoio ao bispo auxiliar de Manágua, Dom Silvio José Báez, que atualmente sofre uma virulenta campanha midiática orquestrada que pretende minar sua credibilidade, e que é organizada pela ditadura de Daniel Ortega.

A reportagem é de Israel González, publicada por Religión Digital, 07-11-2018. A tradução é do Cepat.

“A Província da Companhia de Jesus na América Central deseja expressar sua total solidariedade ao bispo auxiliar de Manágua, Silvio José Báez, a quem respeitamos e admiramos por seu comprovado compromisso com o povo da Nicarágua”, destaca o comunicado, publicado em jornais de circulação nacional.

Os sacerdotes jesuítas, como popularmente são conhecidos os religiosos pertencentes a esta ordem religiosa católica, fundada por Santo Inácio de Loyola, consideraram como uma técnica de “espionagem” os áudios manipuladores emitidos em meios propagandísticos do casal presidencial contra o bispo auxiliar da capital nicaraguense.

“Conhecedores há meses da campanha do governo contra ele, intensificada recentemente a partir de uma gravação manipulada de suas palavras, parece pertinente recordarmos que expressar opiniões é um direito cidadão, enquanto espionar conversas privadas é um crime. Mais ainda se o objetivo dessa espionagem é provocar danos”, apontam os sacerdotes jesuítas.

A Companhia de Jesus, além disso, reiterou sua solidariedade com toda a Conferência Episcopal da Nicarágua (CEN), diante da campanha de desprestígio contra a instituição lançada pelo casal presidencial; que se intensificou nas últimas duas semanas.

Os jesuítas também reiteraram que estão dispostos a contribuir como ordem religiosa para que a Nicarágua logo possa encontrar disposições civilizadas que conduzam o país à democratização, à paz e ao pleno gozo de todos os direitos humanos dos nicaraguenses.

“Como membros da Igreja Católica, reiteramos nossa solidariedade à Conferência Episcopal da Nicarágua e a todas as pessoas que, como o bispo Báez, estão sendo ameaçadas, assediadas e encarceradas injustamente”, encerra o comunicado.

A Companhia de Jesus na Nicarágua está presente, majoritariamente, no ensino. A ordem religiosa é proprietária da Universidade Centro-Americana (UCA), dos Colégios Centro-América e Loyola e das escolas de educação popular Fé e Alegria. Em Manágua, administram a Paróquia São Domingos nos escombros da capital.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Nicarágua. Jesuítas da América Central apoiam o trabalho de bispo perseguido por Ortega - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV