Ordem religiosa processa dois de seus membros em disputa sobre a eutanásia em hospitais católicos

Revista ihu on-line

Missões jesuíticas. Mundos que se revelam e se transformam

Edição: 530

Leia mais

Nietzsche. Da moral de rebanho à reconstrução genealógica do pensar

Edição: 529

Leia mais

China, nova potência mundial – Contradições e lógicas que vêm transformando o país

Edição: 528

Leia mais

Missões jesuíticas. Mundos que se revelam e se transformam

Edição: 530

Leia mais

Nietzsche. Da moral de rebanho à reconstrução genealógica do pensar

Edição: 529

Leia mais

China, nova potência mundial – Contradições e lógicas que vêm transformando o país

Edição: 528

Leia mais

Mais Lidos

  • Bolsonaro é um “perigo real”, afirma bispo brasileiro

    LER MAIS
  • “Repúdio a toda manifestação de ódio, violência, intolerância, preconceito e desprezo dos direitos humanos”. Nota da OAB, CNBB e outras entidades

    LER MAIS
  • Gays, negros e indígenas já sentem nas ruas o medo de um governo Bolsonaro

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

11 Outubro 2018

O superior da ordem dos Irmãos da Caridade processou dois de seus membros belgas por mau uso de fundos, na mais recente reviravolta na luta pela decisão da província belga de permitir a eutanásia em seus hospitais psiquiátricos.

A reportagem é de Tom Heneghan, publicada em The Tablet, 10-09-2018. A tradução é de Moisés Sbardelotto.

Os dois irmãos religiosos acusados negaram ao Ir. René Stockman, superior geral da ordem internacional com sede na Bélgica e em Roma, que tenham feito um mau uso de um milhão de euros dos fundos da província, dizendo que a ordem concordou em colocar essa quantia em uma fundação privada para garantir os meios para cuidar dos seus membros idosos.

O Ir. Stockman também informou aos dois irmãos que eles não seriam renomeados como chefes dos departamentos belga e europeu da ordem.

A sede da ordem em Roma e a sua província belga estão em desacordo desde o ano passado, quando os diretores da província declararam que permitiriam a eutanásia em certos casos, porque os pacientes a pediam. A eutanásia é legal na Bélgica desde 2002.

Stockman, com o apoio do Vaticano, desafiou a província belga a retirar a sua decisão, ou seus hospitais perderiam seu reconhecimento católico. Mas sua diretoria, composta principalmente por leigos, resistiu e insistiu que seu posicionamento era compatível com o magistério católico.

Stockman foi reeleito em julho para um quarto mandato de seis anos como superior da ordem, que foi fundada na Bélgica em 1807.

Com 12 hospitais psiquiátricos e outros serviços, os Irmãos da Caridade são um elemento importante no sistema de saúde belga, com influentes apoiadores leigos. Ela poderia continuar gerindo os hospitais, mesmo que perdessem sua conexão católica.

Os dois irmãos incriminados negaram a acusação de Stockman de terem feito maus uso de um milhão de euros dos fundos da província, dizendo que a ordem concordou em colocar essa quantia em uma fundação privada para garantir os meios para cuidar dos seus membros idosos.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Ordem religiosa processa dois de seus membros em disputa sobre a eutanásia em hospitais católicos - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV