Trump triplica Tornillo, a "cidade" dos menores desacompanhados

Revista ihu on-line

China, nova potência mundial – Contradições e lógicas que vêm transformando o país

Edição: 528

Leia mais

Ore Ywy – A necessidade de construir uma outra relação com a nossa terra

Edição: 527

Leia mais

Sistema público e universal de saúde – Aos 30 anos, o desafio de combater o desmonte do SUS

Edição: 526

Leia mais

Mais Lidos

  • Enquanto pastores evangélicos apoiam Bolsonaro, cúpula católica lava as mãos. Artigo de Juan Arias

    LER MAIS
  • PT deveria realizar 'comissão da verdade' para examinar seus erros, diz Noam Chomsky

    LER MAIS
  • Francisco. “Os hipócritas são um instrumento do diabo para destruir a Igreja”

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

14 Setembro 2018

Diante da explosão do problema - vinculada à linha dura sobre os imigrantes ilegais adotada pela administração, que desencoraja os parentes já nos Estados Unidos a encarregar-se deles - aumentará para 3.800 leitos a capacidade do acampamento infantil de El Paso, na fronteira com o México. Uma verdadeira cidade de meninos entre 13 e 17 anos, trancados na fronteira na espera da expulsão.

A informação é publicada por Mondo e Missione, 13-09-2018. A tradução é de Luisa Rabolini.

A questão dos menores migrantes desacompanhados está explodindo nos Estados Unidos. Isto foi revelado pelo New York Times que divulgou ontem alguns dados de um relatório do Departamento de Saúde e Serviços Sociais, nos quais se afirma que, atualmente, nos centros específicos de detenção administrados diretamente pelo governo, existem 12.800 menores migrantes, em comparação com os 2400 registrados em maio de 2017. O que determinou o aumento não foi tanto a prática contestada de separação de migrantes dos pais na fronteira: mesmo ainda existindo depois de meses alguns casos desse tipo ainda em aberto, a maior parte dos menores que se encontram nos centros atravessaram a fronteira sozinhos.

Por que então o aumento? A razão está ligada ao fechamento imposto por Trump à presença nos Estados Unidos de imigrantes ilegais. Antes – de fato - muitas vezes acontecia que menores de idade encontrados pela polícia de fronteira fossem enviados aos cuidados de algum parente que já estivesse nos Estados Unidos. Por esse motivo, os centros de detenção de menores eram usados apenas para casos de emergência. Mas agora que os controles tornaram-se mais estreitos, quase ninguém se apresenta para pedir a custódia dos meninos, temendo que possíveis controles possam sinalizar outras posições irregulares na família. O resultado é que as instalações públicas estão agora com 90% de sua lotação.

Diante dessa situação, qual é a resposta em que a administração Trump está trabalhando? A expansão do que é hoje o maior desses centros, o campo de Tornillo em El Paso, no Texas, ao lado de um dos postos de fronteira com o México. O Departamento de Saúde anunciou que dos atuais 1200 leitos - distribuídos em vinte e dois dormitórios em tendas atendidos por apenas um refeitório e instalações sanitárias - o campo será aumentado para uma capacidade máxima de 3.800 lugares, ou seja, três vezes mais. A perspectiva é concentrar os menores-migrantes principalmente nesta mini-cidade das expulsões. Uma medida que, contudo, é fortemente criticada por associações comprometidas no Texas com os direitos dos migrantes, que ressaltam as consequências que viver em um ambiente como este poderia ter sobre o futuro dos jovens que estão entre 13 e 17 anos.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Trump triplica Tornillo, a "cidade" dos menores desacompanhados - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV