Bispos americanos relatam que encontro com Francisco sobre abusos sexuais foi “longo e frutífero”.

Revista ihu on-line

Missões jesuíticas. Mundos que se revelam e se transformam

Edição: 530

Leia mais

Nietzsche. Da moral de rebanho à reconstrução genealógica do pensar

Edição: 529

Leia mais

China, nova potência mundial – Contradições e lógicas que vêm transformando o país

Edição: 528

Leia mais

Missões jesuíticas. Mundos que se revelam e se transformam

Edição: 530

Leia mais

Nietzsche. Da moral de rebanho à reconstrução genealógica do pensar

Edição: 529

Leia mais

China, nova potência mundial – Contradições e lógicas que vêm transformando o país

Edição: 528

Leia mais

Mais Lidos

  • A esquerda brasileira em tempo de derrotas: balanços e sentenças

    LER MAIS
  • “O poder do mercado é abuso de poder”. Entrevista com Joseph Stiglitz

    LER MAIS
  • Referência no exterior, Brasil não faz dever de casa na área ambiental 16 de novembro de 2018

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

14 Setembro 2018

O encontro entre o Papa Francisco e os líderes da conferência americana de bispos sobre os contínuos escândalos de abuso sexual no clero resultou em uma “troca boa, longa e frutífera”, disseram os representantes americanos numa carta após a reunião.

A reportagem é de Joshua J. McElwee, publicada por National Catholic Reporter, 13-09-2018. A tradução é de Victor D. Thiesen.

O Cardeal Daniel DiNardo, de Galveston-Houston, disse em uma nota que ele e outros três presentes no encontro contaram ao pontífice como a igreja dos Estados Unidos tem sido “dilacerada pelo mal do abuso sexual”, e que o Papa os “escutou com o fundo do coração.”

DiNardo, presidente da conferência, encontrou-se com Francisco no dia 13 de setembro ao lado do Arcebispo de Los Angeles Jose Gomez, vice-presidente da conferência; o Cardeal de Boston Sean O’Malley, chefe da comissão papal para abusos no clero; e o Mons. Brian Bransfield, secretário geral da conferência.

Em frente ao Papa: Goméz, DiNardo, O'Malley e Bransfield (esq. para dir.) (Foto: CNS/Vatican Media)

O Vaticano não divulgou qualquer informação sobre o encontro, salvo fotos oficiais e um breve vídeo de seu início. A declaração dos bispos americanos foi publicada cerca de quatro horas após o horário marcado para o início da reunião, à meia-noite, em Roma.

O encontro foi o primeiro desse tipo desde 2002, quando oito cardeais americanos foram chamados a Roma para discutir casos de abuso junto do Papa João Paulo II.

DiNardo pediu, primeiramente, que o encontro com Francisco fosse realizado no dia 16 de agosto, dois dias após a denúncia do grande júri da Pensilvânia que revelou que mais de 300 padres foram acusados de cometer crimes sexuais em seis dioceses no estado ao longo de sete décadas.

A divulgação dessa denúncia ocorreu logo após a renúncia do ex-Arcebispo de Washington Theodore McCarrick de seu posto no Colégio Cardinalício devido às revelações de que assédio ou abuso sexual a rapazes até se tornar um prelado veterano da igreja americana.

Em sua declaração de 16 de agosto, DiNardo disse que iria convidar o Vaticano a conduzir uma visita apostólica, ou uma investigação, de como os abusos de McCarrick não foram denunciados mais cedo.

Em forte concordância, enquanto o encontro entre Francisco e os bispos americanos começava à meia-noite, o Vaticano anunciou em seu boletim diário que o papa aceitou a demissão do Bispo de Wheeling-Charleston, em West Virginia, Michael Bransfield, e indicou o Arcebispo de Baltimore William Lori como administrador apostólico da diocese.

Mesmo que Bransfield, que é parente do do secretário-geral da conferência, tenha atingido 75 anos no dia 8 de setembro, idade tradicional para a aposentadoria, Lori disse, em declaração, que foi convidado a “conduzir uma investigação sobre alegações de assédio sexual de adultos contra o Bispo Bransfield.”

Não se sabe especificamente quais alegações Lori foi convidado a investigar, mas Bransfield entrou em observação em 2012 quando uma testemunha, em um julgamento de dois padres na Pensilvânia, alegou ter ouvido de outra pessoa que Bransfield abusou de um garoto adolescente quando era padre na Filadélfia há alguns anos.

Bransfield negou a acusação na época, chamando-a de “chocante e inacreditável,” e a diocese de Wheeling-Charleston declarou em uma nota que outra pessoa presente no incidente alegado disse que o futuro bispo “nunca se envolveu em qualquer conduta imprópria de qualquer tipo.”

Na noite após o encontro de Francisco com os bispos americanos, um relato da Associated Press levantou questões sobre como DiNardo conduziu denúncias de abuso por parte de um padre de Houston.

O pequeno vídeo do Vaticano do início da reunião papal mostrou DiNardo, O’Malley, Gomez e Bransfield, cada um cumprimentando Francisco, parando juntos para uma foto e, então, sentando ao redor da mesa do pontífice no palácio apostólico.

Nas fotos oficiais, DiNardo está sentado diretamente à frente de Francisco; Gomez à direita do presidente da conferência; e O’Malley à sua esquerda. Bransfield está sentado no canto da mesa.

Outra foto mostra quatro envelopes grandes, cada um selado com a estampa do Vaticano, colocadas no lado direito da mesa, provavelmente contendo materiais que Francisco preparou para dar aos bispos americanos.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Bispos americanos relatam que encontro com Francisco sobre abusos sexuais foi “longo e frutífero”. - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV