Trump e Putin: como unha e carne

Revista ihu on-line

Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

Edição: 546

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Mais Lidos

  • A “cristofobia” de Bolsonaro

    LER MAIS
  • “Maciel tinha uma capacidade incrível de manipular e enganar as pessoas”, revela ex-diretora vocacional dos Legionários de Cristo

    LER MAIS
  • A sabotagem social da prisão – Um olhar sobre o sistema carcerário

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


18 Julho 2018

Os dois líderes se reuniram em Helsinque, embora esse tipo de diplomacia sirva principalmente aos interesses russos.

A reportagem é de François Ernenwein, redator-chefe do jornal La Croix e professor na Sciences-Po, em Paris, publicada por La Croix International, 17-07-2018. A tradução é de Victor D. Thiesen.

Os presidentes dos Estados Unidos e da Rússia parecem ter muito em comum. Trump, o empresário, e Putin, ex-agente da KGB (extinta Organização de Serviços Secretos da União Soviética) são igualmente narcisistas e brutais na condução de seus negócios.

Trump proclamou seu desejo de alcançar um relacionamento "extraordinário" com seu colega russo.

No entanto, o encontro que acaba de acontecer na neutra Helsinque, não foi apenas uma reunião de “amigos”. O fato é que as relações entre os Estados Unidos e a Rússia estavam profundamente comprometidas.

Agora, a Rússia, que se isolou internacionalmente, quer voltar à frente do palco mundial. No entanto, sem especificar claramente o que quer alcançar e sem qualquer compensação aparente, Trump deu a Putin exatamente o que tem procurado tão desesperadamente.

Isso inclui um certo nível de garantia sobre a anexação da Crimeia, legitimação da camada protetora que ele desenvolveu pacientemente em torno de sua nação, reconhecimento do papel central de Putin na guerra síria, uma resposta leve à invasão de Moscou às redes de computadores dos EUA, bem como o silêncio sobre o caso Skripal, na Grã-Bretanha.

Embora a Rússia tenha iniciado as discussões a partir de uma posição fraca, Putin, que disse achar as discussões “altamente bem-sucedidas e muito úteis”, saiu por cima.

Enquanto isso, Trump adotou uma abordagem completamente diferente do Congresso e da administração dos Estados Unidos, que buscavam uma linha dura contra Moscou.

Trump também incomodou seus aliados na OTAN, além da União Europeia, após fazer críticas durante a semana inteira. Assim como a guerra comercial de Trump, esse espetáculo diplomático é profundamente preocupante e certamente não irá obter resultados sólidos.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Trump e Putin: como unha e carne - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV