Chile. "Agora, talvez tenha chegado a hora de Karadima falar e depois pedir sincero perdão às vítimas”, afirma arcebispo

Revista ihu on-line

A fagocitose do capital e as possibilidades de uma economia que faz viver e não mata

Edição: 537

Leia mais

Juventudes. Protagonismos, transformações e futuro

Edição: 536

Leia mais

No Brasil das reformas, retrocessos no mundo do trabalho

Edição: 535

Leia mais

Mais Lidos

  • Instrumentum Laboris do Sínodo para a Amazônia, um novo passo de “um 'kairós' para a Igreja e o mundo”

    LER MAIS
  • “O Judiciário foi usado como vingança e impediu que a democracia siga seu curso”, afirma a antropóloga Lilia Schwarcz

    LER MAIS
  • Padre chileno renuncia pouco antes da ordenação episcopal

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

02 Maio 2018

Em entrevista à rádio chilena "Cooperativa", o Arcebispo de Concepción, ao sul de Santiago, Mons. Fernando Chomali Garib, 61 anos, o prelado mais cotado para suceder o cardeal Ricardo Ezzati, atual arcebispo de Santiago (em regime de afastamento desde 2017), expressou-se com palavras de alegria e satisfação sobre os encontros no Vaticano, ocorridos de sexta-feira a domingo, entre o Papa Francisco e José Andrés Murillo, James Hamilton e Juan Carlos Cruz.

"Vê-los tão felizes e sorridentes foi extraordinário. Agora, talvez a única coisa que falte, se Deus quiser, acrescentou Mons. Chomali, seja um pedido sincero de perdão por parte de Fernando Karadima. Falta que Karadima fale."

A informação é publicada por Il Sismografo, 01-05-2018. A tradução é de Luisa Rabolini.

Sobre esses encontros, muito seguidos pela imprensa internacional, o arcebispo de Concepción salientou: "Este foi um evento muito significativo Eles sentiram-se extremamente acolhidos, escutados e isso com uma projeção clara para o futuro: nenhum abuso, nunca mais, não só na igreja, mas em todo lugar".

D. Chomali, que disse conhecer bem Juan Carlos Cruz, uma das três vítimas de Karadima, recebido pelo Papa Francisco no domingo passado, contou que quando este seu amigo em um tweet escreveu que havia sido recebido pelo Papa como um pai, sentiu alegria e comoção.

Finalmente, D. Chomali quis enfatizar que Francisco nesses encontros deixou de lado os aspectos jurídicos, as questões protocolares, os assuntos processuais e quis entrar diretamente pela porta do coração desses três chilenos.

Leia mais 

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Chile. "Agora, talvez tenha chegado a hora de Karadima falar e depois pedir sincero perdão às vítimas”, afirma arcebispo - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV