Banco de esperma da China procura 'bons comunistas'

Revista ihu on-line

China, nova potência mundial – Contradições e lógicas que vêm transformando o país

Edição: 528

Leia mais

Ore Ywy – A necessidade de construir uma outra relação com a nossa terra

Edição: 527

Leia mais

Sistema público e universal de saúde – Aos 30 anos, o desafio de combater o desmonte do SUS

Edição: 526

Leia mais

Mais Lidos

  • O futuro incerto da educação jesuíta

    LER MAIS
  • E Bento XVI escreveu: chega, há apenas um papa, e não sou eu

    LER MAIS
  • “No Vaticano há uma guerra civil subterrânea”. Entrevista com Marco Politi

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

14 Abril 2018

A propaganda para doadores de esperma era exigente. Não seriam aceitos homens carecas. Nem com doenças hereditárias como daltonismo. E caso ainda houvesse alguma dúvida, o banco de espermas do Third Hospital da Universidade de Pequim esclarecia: apenas homens com um amor permanente pela "pátria socialista" deveriam se candidatar.

A reportagem é de Javier C. Hernández, publicada por New York Times, e reproduzida por O Estado de S. Paulo, 13-04-2018.

O esforço do presidente chinês, Xi Jinping, para restaurar o Partido Comunista Chinês para o centro da vida cotidiana no país fez com que banners com mensagens socialistas fossem espalhados pelas ruas da capital Pequim, estimulou a transmissão de raps nacionalistas nas rádios e a exibição de filmes patrióticos nos cinemas. Agora, Xi inspira um novo teste de lealdade partidária: a reprodução.

O anúncio colocado pelo banco de espermas do hospital, que havia sido amplamente divulgado nas redes sociais chinesas nos últimos dias, incluía também o apoio ao PC chinês e a Xi como seus principais requisitos para os potenciais doadores.

"A pessoa deve ter bons pensamentos ideológicos", diz a peça publicitária ao descrever o doador ideal. "(Deve) amar a pátria socialista e apoiar a liderança do Partido Comunista Chinês", continuava o texto.

Os homens que fossem aceitos como doadores poderiam receber até 5.000 renminbi, o equivalente a R$ 2.688. Em 2016, cerca de 19% dos candidatos que se apresentaram ao banco de espermas do hospital foram aceitos, segundo uma notícia da época.

Depois de ser amplamente ironizado nas redes sociais, o anúncio acabou removido.

"Amor pelo país e pelo partido (agora) começam desde esperma", escreveu sarcasticamente um dos usuários do site Weibo, a versão chinesa do Twitter, ao comentar a peça.

Muitos internautas também questionaram os critérios de seleção incluídos no anúncio, que pedia aos doadores que fossem cumpridores da lei, "honestos e corretos" e livre de "questões políticas".

"Qual a prova científica (para isso ser usado na seleção)?", questionou outro usuário do Weibo. Contactado por telefone, um membro do Third Hospital se recusou a comentar a polêmica.

A exigência de Xi por lealdade inabalável ao partido tem sabidamente encorajado ações excessivamente zelosas de autoridades ansiosas para provar sua devoção ao presidente chinês. Críticos dizem que Xi está encorajando o retorno do culto à personalidade que não era visto desde os tempos de Mao Tsé-tung.

Sob a administração do atual líder chinês, funcionários públicos frequentemente falam sobre a necessidade de incutir o chamado "gene vermelho" nas gerações mais jovens, uma outra forma de dizer que é preciso levar adiante a tradição comunista.

William A. Callahan, professor de relações internacionais na London School of Economics, diz que o anúncio do banco de espermas reflete os esforços de Xi para misturar ciência e ideologia.

"Nacionalismo e socialismo estão se misturando de formas peculiares para promover a identidade chinesa como uma linhagem sanguínea", diz Callahan. "O anúncio do banco de espermas mostra como o partido domina cada vez mais a política chinesa e como o crescente nacionalismo é definido de acordo com a pureza racial."

O controvertido anuncio foi criado em um período no qual os bancos de esperma em toda a China enfrentam pressões para atrair mais doadores já que, cada vez mais, as famílias se interessam por um segundo filho desde o relaxamento da política de filho único e o país tenta superar o desafio de ampliar sua força de trabalho já que sua sociedade está envelhecida.

Alguns, no entanto, veem o caso como um caso isolado e são céticos em relação ao significado desta propaganda. Hu Xijin, editor do Global Times, um jornal amplamente nacionalista, afirmou que a propaganda era "ridícula" e parecia ter como objetivo atrair a crítica dos veículos de imprensa.

"Líderes deste tipo de organização que cometem este tipo de acidente deveriam ter que assumir a responsabilidade pelo caso e ser punidos", escreveu Hu em uma postagem também no Weibo.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Banco de esperma da China procura 'bons comunistas' - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV