A mais alta condecoração para cientista pesquisador jesuíta

Revista ihu on-line

Junho de 2013 – Cinco Anos depois.Demanda de uma radicalização democrática nunca realizada

Edição: 524

Leia mais

A esquerda e a reinvenção da política. Um debate

Edição: 523

Leia mais

A virada profética de Francisco – Uma “Igreja em saída” e os desafios do mundo contemporâneo

Edição: 522

Leia mais

Mais Lidos

  • Ensaio de Spadaro e Figueroa sobre Evangelho da Prosperidade irrita direita cristã

    LER MAIS
  • "Igreja Católica não deveria ficar chocada com o caso do cardeal McCarrick: deveria se envergonhar", afirma editorial de revista jesuíta

    LER MAIS
  • La Civiltà Cattolica se lança contra a "teologia da prosperidade" e seu apoio a Trump

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

13 Janeiro 2018

A informação é publicada por Jesuits in Britain, 08-01-2018. A tradução é de Isaque Gomes Correa.

Pe. Sumeth Perera, SJ

Parabenizamos o Pe. Sumeth Perera, SJ, cujo doutorado em genética na Oxford foi aprovado com distinção.

Perera, membro da Província do Sri Lanka, vinha estudando na Inglaterra desde 2012, primeiramente como mestrando em bioquímica na Imperial College London, e depois na Campion Hall Oxford para os estudos em nível de doutorado, focando-se na pesquisa do câncer.

“O tratamento do câncer tem ficado cada vez mais sofisticado’, explica ele, “mas há importantes lacunas na nossa compreensão de como os tratamentos funcionam e por que eles nem sempre impedem o câncer de se desenvolver. Uma dessas lacunas é a forma como o câncer secretou a função de nanovesículas (exossomos), e o novo fenômeno que descobri aqui, chamado troca exossômica (exosome switching), pode, em última instância, influenciar nas novas maneiras como tratamos pacientes de câncer e como reconhecemos se os tratamentos estão funcionando”.

A significação desta descoberta foi reconhecida em 2014 com uma condecoração pela segunda colocação no Prêmio Peter Beaconsfield na divisão de ciências médicas.

O interesse e a pesquisa de Perera em tratamentos do câncer começaram uma década atrás no Sri Lanka com um câncer que afeta os pobres de forma desproporcional:
“O câncer oral prevalece entre as pessoas mais marginalizadas do sul da Ásia. É causado por uma forma de abuso de substâncias – uso viciante [de uma semente de areca em uma mistura conhecida como] betel. E por que ela afeta os pobres do sul asiático de uma maneira desproporcional, os países desenvolvidos não têm muitos incentivos para encontrar sua cura”, explica. Perera desenvolveu o primeiro modelo animal para este câncer enquanto estudava na Universidade de Peradeniya, no Sri Lanka.

Mais tarde, a sua pesquisa sobre a terapia genética na Imperial College London abordou a forma como doenças geneticamente herdadas, como a cegueira em crianças, poderiam ser retificadas.

Desejamos tudo de bom ao Pe. Perera neste momento em que deixa a Província Britânica para cursar o pós-doutorado em biologia do câncer no National Cancer Institute, em Frederick, Maryland, nos EUA. Ele irá se juntar à comunidade jesuíta de Georgetown.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

A mais alta condecoração para cientista pesquisador jesuíta - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV