Papa Francisco quer mudar o Pai-Nosso: ''A tradução (em algumas línguas) não é boa. Deus não nos induz em tentação''

Revista ihu on-line

Base Nacional Comum Curricular – O futuro da educação brasileira

Edição: 516

Leia mais

Renúncia suprema. O suicídio em debate

Edição: 515

Leia mais

Lutero e a Reforma – 500 anos depois. Um debate

Edição: 514

Leia mais

Mais Lidos

  • “O grande erro da esquerda é pensar que movimentos sociais são sempre bons", afirma Manuel Castells

    LER MAIS
  • Um milhão de crianças fora da escola: o absurdo do trabalho infantil no Brasil

    LER MAIS
  • Discurso da esquerda não dá a Lula a menor chance de fazer bom governo

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

07 Dezembro 2017

O texto em italiano da oração mais conhecida, o “Pai-Nosso”, poderia mudar em breve. Quem pretende fazer isso é o próprio Papa Francisco: “Deus que nos induz em tentação não é uma boa tradução. Os franceses também mudaram o texto com uma tradução que diz ‘não me deixes cair na tentação’ [em português, diz-se “não nos deixeis cair em tentação”]. Sou eu quem caio, não é ele quem me joga na tentação para depois ver como eu caí. Um pai não faz isso, um pai ajuda logo a se levantar”.

A reportagem foi publicada por La Repubblica, 06-12-2017. A tradução é de Moisés Sbardelotto.

O pontífice explicou isso no sétimo capítulo do programa Padre Nostro, apresentado pelo Pe. Marco Pozza, transmitido pelo canal Tv2000. Francisco dialoga com o jovem capelão da prisão de Pádua na introdução de cada episódio. “Quem induz você em tentação – conclui o papa – é Satanás. Esse é o ofício de Satanás.”

Falou-se sobre a controvérsia em torno da oração mais conhecida do cristianismo – ela foi ensinada pelo próprio Jesus aos seus discípulos que lhe pediam como deviam rezar – nas últimas semanas quando, na França, disseram adeus ao velho “Pai-Nosso”. Depois de anos de discussões sobre a tradução correta, a nova versão francesa não inclui mais a passagem “ne nous soumets pas à la temptation” – “não nos submetais à tentação” –, que foi substituída por uma versão considerada mais correta: “ne nous laisse pas entrer en tentation”, “não nos deixeis entrar em tentação”.

De acordo com o Le Figaro, a primeira fórmula – “não nos submetais” – fez com que diversas gerações de fiéis acreditassem que Deus podia preparar, de algum modo, uma espécie de armadilha, pedindo-lhes que fizessem o bem, “submetia-os” à tentação do mal.

“A frase atual levava a supor que Deus queria tentar o ser humano, enquanto Deus quer que o homem seja um ser livre”, comentou o bispo de Grenoble, Dom Guy de Kerimel, citado pelo jornal.

Depois de meio século – a controversa versão foi introduzida em 29 de dezembro de 1965 – a Conferência Episcopal Francesa optou pela nova tradução do Notre Père. Para ajudar os fiéis a memorizá-la, a nova oração foi distribuída em dezenas de milhares de cópias nas igrejas da França. A mudança oficial ocorreu há alguns dias, no domingo, 3 de dezembro.

Na verdade, também na Itália, na versão da Bíblia da Conferência Episcopal Italiana (2008), a passagem “et ne nos inducas in tentationem” é traduzida como “e não nos abandoneis à tentação”. No entanto, a edição do Missal Romano em língua italiana atualmente em uso (1983) não contempla essa mudança. Mas, agora, é o papa quem defende publicamente que ela deveria ser mudada.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Papa Francisco quer mudar o Pai-Nosso: ''A tradução (em algumas línguas) não é boa. Deus não nos induz em tentação'' - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV